16/09/2020 às 01:38 – Por Andros Silva

Em 2013, a proposta de Lei Complementar (PLC 416/08) movimentou a classe política nacional e em Jaboatão, a coisa não foi diferente. Caso sancionada pela então presidente Dilma Rousseff, novos municípios seriam criados e logo a ideia de emancipar Jaboatão, para Cavaleiro virar cidade, ganhou força na cabeça de alguns políticos jaboatonenses.

Na época, entre outros, escrevia no jornal Gazeta Nossa, periódico que tinha em seu cast neste tempos áureos, comunicadores hoje bastante conhecidos no jornalismo político, como Edmar Lyra, colunista do Jornal Folha de Pernambuco dono ainda de um blog homônimo, bastante movimentando.

Foi neste jornal, que eu, como colunista, junto ao seu editor, Paulo Rocha, tivemos a “sacada” de fazer uma grande reportagem sobre o assunto, intitulada, claro, óbvio, “EMANCIPAÇÕES”.

Cair em campo, em busca das opiniões dos nomes mais badalados naquele ano na minha cidade, dentre eles, fiz entrevistas com o hoje pré-candidato a vereador pelo PRTB Fernando Gordinho, o candidato a prefeito e delegado Eduardo Porto, o atual vice-prefeito do Jaboatão, Ricardo Valois e Cesar Ramos, ativista, arquiteto e influencer.

Os então deputados Cleiton Collins e João Coutinho, foram contatados através de suas assessorias, mas não deram retorno à reportagem. O ex-presidente da Câmara Neco, o ex-vereador Neneca do Piston e o vereador Nado do Caminhão foram contatados por e-mail e pelo Facebook mas também não responderam à reportagem. O prefeito do momento, Elias Gomes não respondeu, pois estava na Europa. Heraldo Selva, prefeito em exercício na época, também não respondeu pelo Facebook.

O Blog do Andros traz o link direto com a edição em PDF do jornal publicado em 2013. Quem foi contra a emancipação, quem foi a favor? Por que? Quais foram o seus argumentos? A matéria se encontra nas páginas 07 e 08. Vamos relembrar? Clique aqui e vá direto para o jornal.

No detalhe… Nesta mesma edição, na página 13, ficava a minha coluna. Nela tem uma entrevista que fiz com o secretário de Cultura de Jaboatão, Isaac Luna. Na oportunidade Isaac defendeu a administração de Elias Gomes e disse que o artista jaboatonense estava sendo valorizado: “continuaremos priorizando a destinação do nosso orçamento para fomentar e incentivar quem faz a cultura diuturnamente em Jaboatão”. Acho válido reler este papo também. Simbora?