24/08/2020 às 00:51 –  Por José de Siqueira / Colunista Blog do Andros

Concept of distance learning. Tired upset teacher tutor looking at laptop and massages the temples, selective focus
“Aulas remotas são imensamente mais trabalhosas e cansativas do que as aulas presenciais”. Foto: Freepik

Li, no jornal do comércio de quinta-feira, 13/08/2020, no caderno opiniões, p.17, matéria sob o título “Professores”, que me deixou perplexo e causou estupefação às pessoas que conhecem os procedimentos do chamado ensino remoto e os riscos do ensino presencial pertinentes ao contágio da covid-19. O autor do ofensivo texto assegura: “Acho interessante a divergência dos professores em relação ao Covid-19. Os da rede particular, com medo de demissão, querem que as aulas presenciais voltem logo. Já os da rede pública querem prolongar “férias” e continuar recebendo sem trabalhar. Pense em uma preocupação com os alunos”.

Ora, as discrepâncias no tocante ao perigo de contágio do coronavírus e as formas de prevenção desse mal, manifestaram-se no Brasil e no mundo inteiro, não apenas entre professores desse e daquele tipo e natureza de ensino. Insinuou-se que os trabalhadores do ensino particular são egoístas e não pensam no aluno. Querem aulas presenciais para não serem demitidos, inobstante saibam que, confinarem-se em aula com os estudantes, submete-os e a si mesmos à facilitação do contágio.

“Insinuou-se que os trabalhadores do ensino particular são egoístas e não pensam no aluno. Já os professores do ensino público seriam vagabundos, preguiçosos, irresponsáveis”

Já os professores do ensino público seriam vagabundos, preguiçosos, irresponsáveis, contrapondo-se ao ensino presencial no intuito de “prolongar as férias, de continuar recebendo sem trabalhar”. Os professores da rede pública de ensino sabem mais do que ninguém que os protocolos de segurança e distanciamento entre as pessoas não serão cumpridos ante a precariedade dos espaços nas salas de aula superlotadas. Vale salientar que aulas remotas são imensamente mais trabalhosas e cansativas do que as aulas presenciais, nas quais quem leciona virtualmente tem de superar-se na busca de manter o aluno atento, produzir conhecimento, conseguir aprendizagem.

Com toda reverência, Sr. Autor das insinuações, sua crítica foi profundamente injusta e improcedente. Os professores merecem respeito. Divergências sobre o perigo de contaminação pandêmica e o distanciamento entre as pessoas como forma de prevenir-lhe a expansão, não foram exclusivas dos mestres. Até Jair Bolsonaro, Presidente da República e seu então ministro da saúde, Henrique Mandetta, divergiram quanto a avaliação da gravidade e da prevenção do Covid-19, completamente diferente de um para o outro. E não se diga que Bolsonaro ou Mandetta são vagabundos ou descompromissados com a saúde pública.

siqueirasobre
José de Siqueira Silva é Cel da PMPE,
mestre em Direito pela UFPE,
professor de Direito na faculdade
FOCCA e ex-deputado estadual

Contato: jsiqueirajr@yahoo.com.br