Seguem na íntegra as palavras desse grande cidadão apaixonado por sua terra, sua gente e sua história, Rômulo Felix

05/08/2020 às 12:25 – Por Sidha Moitinho / Colunista Blog do Andros

r1
Rômulo Felix/Divulgação

Sou inspiração, sigo a direção do meu coração para escrever para você. Hoje vamos fazer diferente na Coluna Sidha Moitinho. Você vai ler um pouco dos muitos diálogos entre eu e, esse grande Jaboatanense, Rômulo Felix. Ele é o exemplo de pessoa que dá orgulho ter como irmão e chamar de amigo. Admiro-o pelo homem sério que é, com seu coração voltado para nossa cidade. Rômulo Felix é administrador de empresas e nele mora uma alma de poeta, assim como em mim e, ainda comungamos de uma visão clara dos desmandos políticos praticados no município. Seguem na íntegra as palavras desse grande cidadão apaixonado por sua terra, sua gente e sua história.

“Jaboatão dos Guararapes é uma grande cidade e muito maior em história. Então porque os políticos atuais estão rasgando essas páginas? O que é um absurdo!!! Porque não continuam escrevendo a história de um Jaboatão caminhando para o futuro?

Jaboatão dos Guararapes é uma metrópole, está colocada entre as maiores cidades do país. Sendo a segunda maior cidade de Pernambuco em população e arrecadação, no entanto, isso não se reflete no cotidiano do município. O “Berço da Pátria”, como é conhecida nacionalmente, está órfã de políticos que a amem, a respeitem e fomentem o desenvolvimento sustentável e a inclusão social.

“Jaboatão dos Guararapes é uma grande cidade e muito maior em história. Então porque os políticos atuais estão rasgando essas páginas?”

Sua localização estratégica, comércio pujante, população hospitaleira, dinâmica e empreendedora. Essa é a Jaboatão de suor e lágrimas, de lutas e vitórias. Contudo, andando pela Cidade, constatamos que a cidade “estagnou no tempo”. A cidade que o poder público produziu para nós, não tem obras estruturadoras que facilitem a mobilidade e a acessibilidade da população. A falta de incentivos e captação para atrair novas indústrias, reflete no desemprego e na cadeia produtiva do comércio no município. Com exceção da atividade de produtos e serviços, que acredito, que faz os investimentos, gerando emprego e renda.

Temos na gestão municipal, junto com o parlamento, a total falta de visão e compromisso com a modernidade e infraestrutura da cidade que continua crescendo de forma desordenada, sem projetos ambientais, econômico, sociais e inclusivos. A contrapartida, inerente ao poder público para o comércio popular está muito aquém do que determina as boas práticas. Haja visto, o momento que atravessa o mercado de Cavaleiro, o mercado das Mangueiras, a feira de Prazeres e outros locais de compras populares, totalmente insalubres. Infraestrutura e normatização passam longe, no entanto, os órgãos responsáveis pela fiscalização preferem atuar com regularidade a iniciativa privada. Isso é lugar comum, esse é o retrato mal pintado ou desenhado pelas pessoas que teoricamente conduzem os destinos da cidade.

Esse descaso e total falta de compromisso com o município e a população vêm se perpetuando há décadas. As eleições chegam e mudam os atores, todavia não muda a prática do populismo e assistencialismo. Se o vereador compra votos, é porque tem quem venda, com essa prática nefasta, quem perde é a cidade e as pessoas. Menos o vereador que se elegeu, pagou para sentar na cadeira e quer “tirar o seu”.

fr

Os vereadores

Vereadores populistas que doam camisas de futebol, cestas básicas, tijolos e telhas não têm a competência de praticar suas prerrogativas: fiscalizar o executivo, debater a cidade e legislar em prol do cidadão Jaboatanense.

Patrocinar troças carnavalescas, palhoções juninos e grupos de zumba em seus redutos, é o mais próximo que chegam da valorização Cultural da Cidade.  Com um modus operandi abjeto e inescrupuloso, muitos deles COMPRAM, descaradamente, com dinheiro os votos, aproveitando-se da necessidade da extrema pobreza e da falta de politização de parte da população.

A população à deriva

Sem direito, o que teoricamente não tem preço, à ESPERANÇA de ter uma cidade inclusiva e digna para todos. Deveriam atuar em benefício da coletividade, garantir o acesso à saúde e educação de qualidade, valorizar a cultura, o desporto e o lazer, resgatar a dignidade do idoso e salvaguardar os direitos das crianças e adolescentes. Estamos longe disso!

A negligência e a falta de compromisso com a função do vereador

A função do vereador, nada mais é do que um servidor público, é fiscalizar e exigir a execução dessas ações junto ao prefeito. E não ser subserviente ao executivo, em detrimento da população. Jaboatão é altivo, terra dos canaviais, de povo guerreiro, porém, se continuar do jeito que está, sua energia e seus recursos serão sugados e exauridos por políticos sangue sugas, que praticam uma política baixa e rasteira, que usam a população como trampolim e mantém no jugo do retrocesso da pobreza de espírito.

Os mais desavisados, ainda podem encontrar, algumas benesses nas ações de alguns vereadores, ledo engano, praticam a perpetuação da miséria e a prestação de favores. Uma escravidão moderna, uma escravidão velada. A ruptura com a dignidade de parte da população é ocasionada pela ausência do poder público e a fome de poder dos que se intitulam representantes do povo.

Amor a terra dos altos coqueiros

Deixo uma parte do hino de nossa amada Guararapes para que  fale sobre a minha história de amor com nossa CIDADE, Jaboatão que me fascina e que desperta em mim o desejo de vê-la no rumo certo. Todos nós, cidadãos Jaboataneses, merecemos uma Jaboatão dos Guararapes desenvolvida com uma população prospera e feliz.

“Jaboatão

Nos verdes vivos dos teus

altivos Canaviais,

Há sempre rindo uma esperança

até na dança dos matagais.

É uma esperança que nunca finda

e que se alinda de inspiração

Ver-te sem guerra, terra dos altos,

linda terra da promissão”

Destaco três palavras dessa estrofe: “ESPERANÇA, INSPIRAÇÃO E PROMISSÃO”.

Pense nisso!

sidhanovap
Sidha Moitinho é uma baiana que cresceu em Brasília, apaixonada por Pernambuco, mora em Jaboatão dos Guararapes há mais de 18 anos, cidade que ama e pela qual luta.

É comunicadora social, bacharel em teologia, pastora, cineasta, coordenadora literária e escritora. Sidha ama escrever para crianças, atualmente vem promovendo seu conto infantil ‘Paulinho e o Vento’.

Contato: sidha.moitinho@gmail.com
www.mulherpapoecafe.com
@sidha_moitinho