24/07/2020 às 10:32 – Por Andros Silva

se
Foto: Andros Silva

Na noite fria da quinta-feira (23), de céu hora nublado, minutos estrelado, típica de inverno, fui matar as saudades da beleza e dos sabores da linda, Olinda, mas precisamente, do Alto da Sé. Foi lindo ver, ainda tímido, o espaço de volta as suas atividades. O som dos artistas populares no local, tão tradicional, não foi possível escutar, a triste pandemia, não permite no momento, mas feliz de saber que com os devidos cuidados, tudo vai aflorando novamente. Música com os ares de Olinda mesmo, só ali na altura dos quatro cantos. Das dependências do Grêmio Musical Henrique Dias, ecoava um frevo rasgado, daqueles de fazer lembrar os dias de carnaval, quando as ladeias estão repletas de gente bonita e alegre, dispostas a cair no frevo, “que entra na cabeça, depois toma o corpo e acaba no pé”. Tenhamos fé… Tudo voltará a ser ainda melhor que antes.