De acordo com o leitor preocupado, a maioria que usa a calçada da brigada localizada no bairro de Socorro, em Jaboatão, para praticar exercícios físicos, não utilizam o item de segurança

01/07/2020 às 13:31 – Por Andros Silva

qurtel
Imagem captura pelo Google em abril de 2019

De acordo com o Painel Covid-19, site criado pela Prefeitura do Jaboatão para mapear os casos de coronavírus pela cidade, o bairro de Socorro tem 56 casos confirmados e 16 óbitos provocados pelo novo coronavírus, mas ali, a maioria que usa a calçada da brigada localizada no bairro para praticar exercícios físicos no finale tarde, não utiliza máscara, item de segurança.

Aos menos foi o que contou Maurício, que entrou em contato com o Blog para pedir que falássemos sobre o assunto. Numa rápida passagem pelo local, ele flagrou grupos caminhando, duplas correndo e poucos aquecendo o corpo de forma individual e usando máscara de proteção, como recomenda as autoridades de Saúde. De acordo com o leitor, os soldados do batalhão citado, que ficam guardando a praça Marechal Floriano Peixoto e os prédios de responsabilidade do Exército, também não fazem uso do objeto. Ele chegou a enviar fotos, mas o Blog preferiu preservar a imagem das pessoas.

No detalhe… Outro dia, quando seguia para padaria, perguntei a uma corredora o motivo dela não usar a máscara ao praticar exercícios. “Não uso por fazer mal na hora de se exercitar”, contou. Sobre o assunto, o Blog Homelete, do jornal Correio Braziliense, publicou uma matéria com especialistas. Os ouvidos confirmaram que fazer exercício de máscara facial não oferece riscos à saúde, pelo contrário, é o recomendado.

Na padaria… Para minha surpresa, um senhor, maior de 60 anos, do grupo de risco e sua funcionária, ambos atendentes, não usavam máscara de proteção. “Cadê a máscara senhor”, perguntei. “Não faz diferença”, respondeu.

Exercícios em grupo… Só é recomendado, quando as pessoas moram na mesma casa.

Em tempo… Vamos nos cuidar, não queremos Jaboatão outra vez em lockdown.

Aos leitores… A imagem nesta publicação não é atual. Foi capturada pelo Google em abril de 2019. Optamos em usar para indicar aos nossos leitores o local descrito na matéria. O leitor que procurou o Blog, enviou fotos, mas preferimos preservar a imagem das pessoas.