04/05/2020 às 08:32 – Por Andros Silva

Nesta segunda-feira (4), comemoramos o aniversário do nosso lindo e majestoso município. Jaboatão dos Guararapes, a terra dos altivos Canaviais, faz 427 anos. Parabéns a todos jaboatonenses, que assim como eu, se orgulham de ter nascido, no lugar onde nasceu a pátria. VIVA JABOATÃO!

andros-blog
Divulgação

História de Jaboatão dos Guararapes

Para desenvolver a produtividade das terras, os donatários de capitanias concediam, em regime de sesmarias, lotes para o plantio. E foi neste regime que, em 1566, Duarte Coelho concedeu uma légua de terra a Gaspar Alves Purga e Dona Isabel Ferreira, para o cultivo de cana de açúcar e instalação de um engenho, o São João Batista (hoje, Usina Bulhões). Em 1573, as terras foram desmembradas e parte delas vendida a Fernão Soares, que teve como herdeira Maria Feijó, casada com o português Antônio Bulhões. JABOATÃO teve o seu povoado fundado a partir de 4 de Maio de 1593, por Bento Luiz Figueira, terceiro proprietário do Engenho São João Batista.

Foi palco de duas grandes batalhas contra os Holandeses em Pernambuco, travadas nos anos de 1648 e 1649. Tem como seus principais vultos o general Francisco Barreto de Menezes, André Vidal de Negreiros, João Fernandes Vieira, Felipe Camarão, Henrique Dias, Antônio Dias e Antônio Silva. Em 1873, o povoado passou à Vila e, em 1884, ao ser desmembrado do território de Olinda, foi elevado à categoria de Cidade. O primeiro nome da cidade foi Jaboatão, que vem do indígena ‘Yapoatan’, numa lembrança à árvore comum na região, usada para fabricar mastros e embarcações.

A partir de 1989, passou a ser chamada de Jaboatão dos Guararapes, em homenagem ao local das batalhas históricas – os Montes Guararapes. É lá que está localizada uma das mais belas igrejas de Pernambuco, a de Nossa Senhora dos Prazeres, construída em 1565, e é a única igreja de Pernambuco, cuja fachada é revestida em azulejo – primeira igreja da América a ser dedicada ao culto de Nossa Senhora – onde todos os anos é realizada uma das festas mais famosas, a Festa da Pitomba (fruta regional).

A cidade, localizada a apenas 14 quilômetros do Recife, que se proclama como o ‘berço da pátria’, por ter sediado as principais batalhas contra os invasores holandeses na então Capitania de Pernambuco, oferece atrações de sobra para os seus visitantes. São oito quilômetros de orla, com praias para todos os gostos: desde a urbana Piedade até a quase inexplorada Praia do Paiva; igrejas seculares; e usinas que guardam fragmentos do passado revolucionário do Estado.

Jaboatão dos Guararapes foi palco da vitória contra os holandeses, no século XVII. A história do Brasil pode ser vista nas ruas e calçadas da cidade. No Parque Histórico Nacional dos Guararapes estão estampadas as lembranças da Guerra da Restauração Pernambucana (1648/1649), encenada todos os anos no Monte dos Guararapes; a encenação ocorre em datas móveis, durante o mês de novembro.

Com 363 hectares de extensão, o parque é formado por três morros: Oitizeiro, Telégrafo e Ferradura. Do parque é possível se apreciar a vista da cidade de Jaboatão dos Guararapes e do Recife. No local encontra-se até hoje uma das mais importantes e cobiçadas Igrejas do Estado: Igreja Nossa Senhora dos Prazeres (conhecida como Igreja dos Montes Guararapes); segundo registros históricos, a capela que deu origem à igreja teria sido iniciada no século 17, após a expulsão dos holandeses.

Os Montes Guararapes são administrados pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e Exército, com o apoio da Prefeitura. Lá existe um belíssimo Mirante e um espaço cultural, com maquetes e painéis alusivos às batalhas.  Jaboatão oferece atrações de sobra para os seus visitantes. São oito quilômetros de orla, com praias para todos os gostos: desde a urbana Piedade até a quase inexplorada Praia do Paiva; igrejas seculares; e usinas que guardam fragmentos do passado revolucionário do Estado.

Em Jaboatão está localizado também o Instituto Cultural Lula Cardoso Ayres – com acervo de documentos e obras do artista, galeria de arte, biblioteca e cinemateca.  A Colônia dos Padres faz parte do roteiro religioso do Município. Essa Colônia, que foi erguida pelo Padre Antônio Avelar, conta com o Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, vinculado à Basílica de São Pedro, no Vaticano, o local concede às pessoas que o visitam as mesmas indulgências propiciadas pela Basílica. O Santuário tem o estilo bizantino, no qual é erguido sobre uma gigantesca pedra que lhe serve de pedestal.

Essa Basílica, assim denominada hoje, é referência para os romeiros de todo o Norte/ Nordeste, especialmente os da família salesiana, que se dirigem a ela em oração.  A cidade tem infra-estrutura completa para os turistas. Há hotéis, restaurantes e shopping center, além de pólos de animação noturna e marinas.  Jaboatão conta ainda com um Pólo Náutico com mais de dez marinas, onde o turista pode desfrutar o sossego e a harmonia do Rio Jaboatão na bela praias de Barra de Jangada.

Texto extraído do site Visite o Brasil… Com informações do IBGE e Governo do Estado de Pernambuco