Confecção está ocorrendo por meio de parceria com a Associação Civil de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado. Como contrapartida, foram cedidos tecidos para fabricação e abastecimento de máscaras nas unidades socioeducativas

29/04/2020 às 13:01 – Da assessoria para o Blog do Andros

1
Divulgação

A colaboração entre duas instituições está acelerando a distribuição de equipamentos de proteção individual (EPIs) para trabalhadores com atividades essenciais durante a pandemia da Covid-19. Com tecidos e outros aviamentos cedidos pela Associação Civil de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado (Assepe), a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) está ajudando a confeccionar capotes para profissionais do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), no Recife. Como contrapartida, os mesmos materiais de costura também estão sendo aproveitados na confecção de mil máscaras para uso por agentes socioeducativos, técnicos e outros colaboradores da Funase, incluídos no rol de profissionais com serviços indispensáveis.

A produção está ocorrendo na Casa de Semiliberdade (Casem) Areias, no Recife, por meio das mãos de quatro funcionárias com habilidades em costura. Até agora, já foram entregues 40 capotes ao HSE. A previsão é de que o número de exemplares produzidos chegue a 175. “Tínhamos tecido e linha, mas faltava pessoal para fazer a costura. Foi aí que conseguimos a parceria com a Funase. Começamos a receber alguns capotes, que são entregues na Gerência Administrativa para distribuição nos setores de atendimento aos pacientes”, explica a vice-presidente da Assepe, Beatriz Gomes, que, na associação, atua no apoio à direção do hospital.

A parte da produção que contemplará a Funase também está ficando pronta e seguindo para distribuição. “Sabemos da importância de não esgotar as máscaras vendidas comercialmente para que elas fiquem à disposição dos profissionais de saúde. Por isso, passamos a seguir as recomendações das autoridades para confeccionarmos nossas próprias máscaras e nos colocamos a serviço da instituição. É muito gratificante participar dessa colaboração”, avalia a coordenadora geral da Casem Areias, Maura Oliveira.

DISTRIBUIÇÃO – Além do material produzido por meio dessa parceria, outras linhas de trabalho também estão em andamento para garantir o abastecimento de máscaras nas unidades da Funase. No Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Santa Luzia, no Recife, e no Centro de Internação Provisória (Cenip) Caruaru, a confecção está sendo feita por socioeducandas e socioeducandos com a ajuda de instrutores. Também houve fabricação no Case e na Casem Caruaru. Outra contribuição tem vindo da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, à qual a Funase é vinculada. A pasta abasteceu a instituição com 1,9 mil máscaras, em observância ao Decreto Estadual 48.969/2020, que determina o uso desse equipamento por funcionários dos órgãos públicos.

Ao todo, já foram distribuídas 3,7 mil máscaras na Funase, entre confeccionadas na instituição ou doadas. Além de agentes socioeducativos, técnicos e outros colaboradores que precisam dar expediente presencial na sede e nas unidades socioeducativas, adolescentes em internação ou internação provisória que apresentem sintomas gripais também têm esses itens à disposição.