10/04/2020 às 22:29 – Por Andros Silva

edson
Edson Gomes. Foto: Evandro Veiga/CORREIO

A música “O Dia em Que a Terra Parou”, fala sobre um dia que ninguém saiu de casa, composta por Raul Seixas, lançada em 1977 e muito executada em décadas passadas, foi a mais lembrada nestes tempos de isolamento causado pelo coronavírus. Mas matutando nesta Sexta-feira Santa com os meus botões, recordei que o mestre baiano, Edson Gomes, também canta versos que faz jus aos dias atuais: “A lua já não é mais dos namorados/Os velhos já não curtem mais as praças/E quem se aventura pode ser a última/E quem se habilita pode ser o fim”. Claro, diferente de Raul, o regueiro não estava fazendo uma citação aos seus devaneios de visionário e sim um protesto contra a grande ‘criminalidade’ existente em 1991, ano de lançamento da canção que tempos mais tarde se tornaria um clássico do reggae brasileiro. Todavia há de concordar que hoje a letra poderia se encaixar facilmente numa campanha do governo cujo tema seria o “Fica em Casa”.

No detalhe

Em Jaboatão dos Guararapes, cidade circunvizinha a capital Recife, existe no centro do município uma praça intitulada Nossa Senhora do Rosário. Ali, o trecho “os velhos já não curtem mais as praças” fica obsoleto.