04/04/2020 às 16:05 – Por Elexsandro Araújo / Colunista Blog do Andros

pacientep
Na foto, Sra. Sampaio. Paciente há mais de 6 anos do Dr. Elexsandro Araújo. Arquivo pessoal

O aumento da assistência domiciliar é um fenômeno observado em diversos países, inclusive no Brasil, devido ao crescimento da população idosa no mundo e, simultaneamente, ao aumento do número de idosos incapacitados. O tratamento pode ser realizado como prevenção de problemas de saúde, o que também engloba as quedas, ou ainda para auxiliar na cura de uma ou mais questões apresentada pelo corpo, como doenças respiratórias, lesões e outras enfermidades. Melhora a flexibilidade, evita a depressão, aumenta a força muscular, promove a autoestima, reverte quadros de hipertensão e taquicardia e ainda ajuda a prolongar a vida. No caso da depressão, a fisioterapia age evitando o sentimento de solidão dos idosos, reduzindo dores e ocorrência de insônia, fazendo com que eles relaxem a mente e mantenham peso e saúde estáveis.

A fisioterapia domiciliar para idoso surge como uma opção quando a pessoa apresenta dificuldades de locomoção e mobilidade, impedindo o deslocamento até um consultório que ofereça a reabilitação, ou mesmo quando o idoso está em um estado de saúde mais grave. É o caso, por exemplo, de pessoas que necessitam ficar no leito e não têm como ir à clínica.

O Fisioterapeuta desempenha um papel indispensável neste âmbito, mantendo maior interação familiares e equipe multidisciplinar. Fatores que somam positivamente na manutenção e evolução do quadro clínico do paciente. Na maioria das casos, o tratamento fisioterapêutico não é algo opcional, é indispensável. Quando falamos de prevenção, não trata-se apenas de problemas futuros decorrente a falta de movimentos. Mas, falamos de prevenir evoluções de complicações clínicas existentes. O imobilismo é um dos fatores que leva o paciente a desenvolver alterações patológicas significativas.

5 PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES FÍSICAS DO PACIENTE ACAMADO/SÍNDROME DO IMOBILISMO:

O idoso acamado pode desenvolver uma quantidade grande de complicações em diversos órgãos e sistemas. Dentre estas o Centro de Medicina do Idoso (CMI) (2010) aponta os principais que são afetados: osteomuscular, cardiovascular, digestivo, urinário, e respiratório.

Dentro do processo de assistência ao paciente idoso em seu domicílio, é importante destacar:

– Identificar os fatores de riscos;
– Orientar o paciente, família e cuidador na adequação do ambiente e adaptação do
idoso nas atividades de vida diária, evitando acidentes domésticos;
– Promover exercícios físicos, estimulando a mobilidade e evitando a restrição ao leito;
Estimular a independência nas AVDs e ABVDs.

epnova
Dr. Elexsandro Araújo é Fisioterapeuta, Mestrando em Gerontologia e Especialista em Gerontologia. Diretor da Terapias Integradas Home, Professor, Palestrante, Escritor e Colunista

Contato: elexsandroaraujo@outlook.com
Instagram: @elexsandroaraujo