31/03/2020 às 10:33 – Por Andros Silva

sandro1
Dr. Elexsandro Araújo em foto especial para o Blog do Andros

O Blog do Andros foi conversar com o Dr. Elexsandro Araújo, fisioterapeuta e colunista deste Blog, além de escritor e palestrante. Dono de uma carreira relevante no cenário local, já teve sua imagem publicada em colunas de grandes jornais em nosso Estado, participou e participa de programas renomados na TV pernambucana e é sempre convidado para entrevistas em diversas páginas na internet. Natural do Recife, fez uma viagem no tempo, relembrou sua história, contou como se deu sua escolha pela Fisioterapia, falou como aconteceu sua transição da capital pernambucana para Jaboatão dos Guararapes, quais eram as suas principais preocupações em sua época de acadêmico, e entre outras, navegou pela política nacional e municipal, chegando a fazer um breve comentário sobre o primeiro mandato do prefeito Anderson Ferreira. Os momentos difíceis na vida também foram abordados. “Tive asma grave. Vivia internado. Fui operado 7 vezes na barriga. 5 meses sem andar”, revelou.

Andros Silva – Elexsandro, vamos fazer uma viagem no tempo? Para começar, onde você nasceu e como se deu sua escolha pela Fisioterapia?

Elexsandro Araújo – Nasci em Recife. A escolha da Fisioterapia partiu do princípio de me sentir escolhido pela profissão. Quando ainda trabalhava como recepcionista na clínica de Fisioterapia da minha prima Simone Souza. A partir dessa vivência, pude vê o quanto que poderia somar na vida das pessoas.

Natural do Recife e hoje reside em Jaboatão dos Guararapes, como aconteceu sua transição para cidade sede do nosso Blog?

Ainda pequeno passei a morar em Jaboatão dos Guararapes. Nossa primeira casa era na propriedade do meu querido avô Severino (in memoriam). Onde só moravam familiares.

Quais eram as suas principais preocupações em sua época de acadêmico? Como foi sua passagem pela faculdade? Teve algum professor que te inspirou?

Em toda fase acadêmica sempre me preocupei em construir uma formação humanizada. Com um olhar clínico e, sobretudo, empático para com os meus futuros pacientes. A fase na faculdade foi de grandes experiências. Situações difíceis as quais me fizeram chegar aonde estou. Tive mestras e mestres brilhantes. Teria uma lista enorme. Mas, citarei duas que representaram bem as demais: Dra. Carine Wiesiolek e Dra. Raquel Siebra.

Quando passou a atuar na área, foi tudo como imaginava? Ou a prática lhe fez perceber muitas diferenças da teoria?

A vivência profissional nos leva a grandes aprendizados. Assim, foi comigo. Grandes desafios a cada paciente. Muitas vezes, a teoria se perdia frente a prática. E, quando isso acontece, precisamos ser humanos o suficiente para agir da melhor forma.

A proliferação das instituições de ensino, acabou inflando a procura e facilitando o acesso ao curso de Fisioterapia. Com tantos formados, como está o mercado para esses profissionais? Ainda favorável para quem acabou de sair da faculdade?

Sempre digo que há espaço para todos aqueles que fazem com responsabilidade e amor o que se propuseram a fazer. Dificuldades sempre existirão, mas, precisamos aprender a lidar e buscar soluções que somem ao crescimento. O mercado é seletivo. Então, não seja bom no que faz. Seja excelente!

Você já teve sua imagem publicada em colunas de grandes jornais em nosso Estado, participou e participa de programas renomados na TV pernambucana, é sempre convidado para entrevistas em diversas páginas na internet. Como trabalhou para a sua carreira, enquanto profissional, ganhar tamanha relevância?

Acredito que há um Deus que está guiando tudo o que acontece em nossas vidas. Acredito na nossa força a qual colocamos no que desejamos alcançar. Sobretudo, o amor, dedicação e responsabilidade me faz ir além a cada dia.

“Muitas vezes, a teoria se perdia frente a prática. E, quando isso acontece, precisamos ser humanos o suficiente para agir da melhor forma”

A sua página no Instagram conta com mais de 30 mil seguidores. Qual a importância do marketing pessoal na vida de um fisioterapeuta?

Estamos em uma realidade que não dá para fugirmos dela: era digital! A forma a qual nos portamos e o conteúdo que levamos para as redes sociais, geram impactos fortes na população. Então, mais que a imagem que torna-se figura pública, é o que somamos de positivo para sociedade enquanto fisioterapeutas. Acredito ser o maior diferencial para grandes alcances.

O Dr. também atua como palestrante, escritor e atualmente comanda uma coluna neste Blog. Como faz para organizar seu tempo e manter tantas funções?

Excelente pergunta! (risos). Não tenho um cronograma para realizações das atividades. Mas, para cada demanda, procuro separar um tempo do dia pra que faça com qualidade.

Por falar em sua coluna, você divide o espaço aqui com outros profissionais. É importante manter uma ligação com aqueles que navegam em outras áreas da saúde?

Extremamente importante! Indispensável! A visão multidisciplinar é algo intrínseco dentro de uma assistência em saúde que presa em olhar o paciente como um todo.

Você lançou uma biografia, como surgiu a ideia de contar a sua história em livro?

Sempre gostei de lê, escrever textos. Então, dentro do que vivi e, incluindo momentos de grandes dificuldades e alegria, decidir compartilhar com os leitores como uma forma de encorajamento e força.

“Estamos em uma realidade que não dá para fugirmos dela: era digital! A forma a qual nos portamos e o conteúdo que levamos para as redes sociais, geram impactos fortes na população”

Sem querer dar Spoiler do livro (risos), nas páginas você fala que recebeu um milagre. Daria para falar rapidamente qual milagre foi esse? Apenas como aperitivo para quem ainda não teve a oportunidade de ler o livro?

Meu primeiro milagre aconteceu ainda adolescente. Tive asma grave. Vivia internado. Mas, hoje, não tenho mais… Meu segundo milagre aconteceu há dois anos, bem recente. Fui operado 7 vezes na barriga. 5 meses sem andar.

Cinco meses sem andar? E como foi esse período?

Sete operações no abdômen, decorrente a uma apendicite. 42 dias internado, sendo 18 dias na UTI e 8 dias entubado.

Nossa, um verdadeiro milagre. Onde encontramos o livro e qual preço sugerido?

As aquisições são diretamente comigo. Custa R$40,00.

sandro222
“Meu primeiro milagre aconteceu ainda adolescente. Tive asma grave. Vivia internado”

Estamos quase chegando ao fim da nossa conversa, mas antes gostaria de saber a sua opinião sobre a política em Jaboatão dos Guararapes. Como morador e empreendedor no município, qual a sua avaliação em relação ao primeiro mandato do prefeito Anderson Ferreira?

Acredito que ainda precisamos evoluir muito no que diz respeito ao olhar para os menos favorecidos. Precisamos de uma política mais igualitária.

Como profissional de saúde, o que a gestão municipal poderia fazer para ajudar a população em tempos de pandemia, como a covid-19?

Atualmente, um posicionamento mais incisivo quanto ao distanciamento social. Formas que viabilizem o “Fique em casa”. Disponibilizar aos menos favorecidos maiores condições de água e sabão, para prática básica de higienização.

E a atitude do presidente Jair Bolsonaro, que vem se posicionando a favor do isolamento vertical.

Posicionamento que indiscutivelmente denota o despreparo enquanto presidente. No cenário atual, onde o que precisamos é minimizar a propagação do vírus, assim, diminuindo o índice de mortalidade, não é inteligente pregar ações que estão em linha contrária.

Elexsandro, obrigado por reservar um tempo e conversar com o Blog do Andros. Gostaria de deixar um recado final para os nossos, os seus leitores?

Claro! Primeiramente agradecer por essa entrevista! Grato! Aos queridos leitores, que continuem acompanhando este blog tão sensato e culto. Vocês são parte importante!