26/03/2020 às 14:07 – Por Sidha Moitinho / Colunista Blog do Andros

sidhamateria
Sidha Moitinho, titular desta coluna, em nova foto para o Blog do Andros. Divulgação

Existe justiça na política de Jaboatão dos Guararapes? Existem homens e mulheres no cenário da nossa política municipal que podemos apontar e declarar: “Justo homem e justa mulher trabalhando pelo bem estar do nosso povo?” É uma vergonha lembrar que muitos que se autointitularam justos na campanha passada não demonstram justiça no que fazem agora. Passam óleo na cara de pau, dizendo que nós somos os culpados de não conseguirmos ver suas ações e obras invisíveis. Para ser justa, acredito que tenham sim, algumas exceções, os justos sempre florescerão. Só nos resta desamarrá-los através do nosso voto. Confesso que já caí em arapucas, quem nunca caiu? Mas, desta vez, para receberem meu voto terão de me provar que merecem minha confiança porque de “blá-blá-blá” o inferno está cheio. Infelizmente, não podemos acertar 100%, existem pessoas que são enganadoras profissionais e contra estas só tem um remédio: nunca mais votar nelas.

Os sinais falam. A verdade se revela nos pequenos detalhes dos gestos, dos atos, da fala… O olhar diz muito… A humildade não fingida… O engano deixa seus rastros, observe-os.

Olha que coisa louca! Nem em pesadelo, pensei existir a conduta que passo a narrar: certo político ao se despedir de mim, depois de me chamar de amiga, deu-me as costas da sua mão no exato momento em que minha mão tocaria a dele, tenho testemunhas. Eu fiquei tão passada quanto uma pessoa que leva uma bordoada pelas ventas… Nunca imaginei um gesto tão baixo por parte de uma autoridade política. Passei o dia tentando me recuperar daquela facada no âmago da minha dignidade.

Adianto que não sou candidata a nada. Saliento que não quero condenar esse político, nem expor sua pessoa, pois Jesus o ama como ama a mim, mas mostrar como a sujeira da alma apodrece o respeito e ações de certos políticos, isso não é nada perto de assassinatos, corrupção, porém espero que ele leia este texto e nunca mais faça isso com ninguém porque é algo tão mesquinho, tão pequeno, tão baixo…

Estejamos atentos! O cenário político em Jaboatão não mudou em quase nada. Se você fez como eu, votando com boas intenções no político errado, é só não votar de novo.

A política justa e honesta não pode continuar sendo um ideal, um sonho que, a cada nova eleição, vira pesadelo. A política tem de ser real e como poderá ser se o eleitor for o primeiro a ser injusto e desonesto consigo mesmo? O eleitor não é vítima, faz suas escolhas, tudo que plantamos, germina e dá frutos.

O ano eleitoral chegou, o novo coronavírus vai passar e será que vamos ter de engolir por mais 04 anos os mesmos políticos? CHEGA DE ENGOLIR COBRAS! BRINCAR COM JACARÉS! VIRAR COMIDA DE TUBARÕES!

Nosso maior desafio é ensinar nosso povo a viver por princípios. O grande problema na nossa cidade e no Brasil, como todo, é que a maioria esmagadora dos nossos políticos são homens maus, manipuladores, enganadores e soberbos que têm na sociedade um povo miseravelmente pobre de princípios e valores que se olha pelo mesmo retrovisor da maldade e da desonestidade dos políticos, comendo as migalhas da mesa, melhor, roendo ossos. Temos de parar de nos vitimizar e assumir nossa identidade de um povo vencedor. CHEGA DE SERMOS UM POVO FRACASSADO, VIVENDO COMO MANADA NOS CURRAIS DOS POLITIQUEIROS!

Esses caras e muitas dessas mulheres que estão manipulando a sociedade brasileira por meio dos seus mandatos políticos são narcisistas ao extremo, não têm empatia, não comungam da compaixão, pensam que estamos aqui para servi-los como se fossem nossos donos.

Até as crianças estão afetadas pela criação injusta e sem princípios que recebem no seio familiar. O pintor que estava fazendo um trabalho aqui em casa, trazia todos os dias o seu filho, conversando com menino disse: “Nossa, que lindo, parabéns! Com 10 anos vai para o quinto ano! Você sabe ler bem?” Ele afirmou que “sabia”. Então propus para a criança: “Vamos ler estas embalagens?” O menino não sabia ler praticamente nada, não está alfabetizado e, como assim, indo para o quinto ano? Desde a minha adolescência ensino crianças a ler. Perguntei para a pobre criança: “Você quer aprender a ler de verdade?” Posso te ensinar! Ele sorriu com o canto da boca, respondendo que queria. Peguei um caderno, pedi que ele tirasse as poucas folhas usadas para podermos dar início ao nosso projeto. Precisei fazer um teste com ele… Ao ver o desleixo com o qual arrancou as folhas, deixando-as espalhadas sobre a mesa, percebi que havia a necessidade de ensinar, também, alguns princípios, pensei que ele havia entendido e que, a partir dali, seguiria para outro nível. Ausentei-me por um momento e, quando voltei, essa pobre e orgulhosa criança me nocauteou, simplesmente deixou as folhas no mesmo estado sobre a mesa, me olhou com ar de superioridade, sentou em uma poltrona na varanda e foi brincar com o celular do seu papai. Depois de despachada, tendo arrancado as folhas do meu caderno pra nada, encerrei a história sem dizer nenhuma palavra a ele. Nossos eleitores são como esse menino, não têm nada e quando aparece alguém pra ajudar, com boas intenções, eles esmagam com desprezo. Eu estou falando com autoridade, tenho muitas histórias pra contar.

Responda-me se puder: Por acaso é no meio do povo que encontraremos os justos que não encontramos na política? Nananinanão! A corrupção é um mal em nossa cultura. Claro que sempre haverá exceções.

Por falar na situação escolar daquela criança mencionada, vamos nos voltar um pouquinho para a gestão atual que não mexeu em nada, pelo que entendi, no regime esquerdista implantado pelo MEC. Meninos e meninas continuam sendo aprovados sem saberem de nada, exatamente como esse garotinho, sem o conto e sem a fada. Eu já ensinei outra criança na mesma condição dessa, porém com uma diferença: Pablo tinha 9 anos, sua mãe me contou como seu filho sofria e pedia a Deus para aprender a ler, quando terminei de ouvi-la, na mesma hora, olhei para o menino e disse-lhe: Eu sou a resposta da sua oração a Deus! Para honra e glória do nosso Deus amado, em apenas 15 dias, Pablo aprendeu a ler. Tem gente, apenas, esperando por uma oportunidade, enquanto outras matam as que surgem. Jesus te ama. Beijos!

siSidha Moitinho é uma baiana que cresceu em Brasília, apaixonada por Pernambuco, mora em Jaboatão dos Guararapes há mais de 18 anos, cidade que ama e pela qual luta. É comunicadora social, bacharel em teologia, pastora, cineasta, coordenadora literária e escritora. Sidha ama escrever para crianças, atualmente vem promovendo seu conto infantil ‘Paulinho e o Vento’.

Contato: sidha.moitinho@gmail.com