Três EREM do Grande Recife estão sendo contempladas pelo “Alavanca na Escola”, que vai mapear e propor soluções para melhorar o aprendizado de jovens

09/01/2020 às 11:11 – Por Tacyana Viard para o Blog do Andros 

ca
Caravana da Educação em Paulista. Foto: Pedro Menezes

Aumentar a retenção de alunos em três escolas de referência de Pernambuco, esse é o objetivo do projeto “Alavanca na Escola”, vencedor do Educar para Transformar, 7ª Chamada Pública de Projetos do Instituto MRV. Desenvolvido pela Organização da Sociedade Civil (OSC) Somo Professores, a iniciativa irá acontecer em três municípios da Região Metropolitana do Recife – Paulista, Jaboatão dos Guararapes e Recife -, contemplando mais de dois mil estudantes da rede pública com idade média de 16 anos.

A proposta do projeto é identificar dificuldades e encontrar ferramentas e soluções para aprimorar o aprendizado dos estudantes nas Escolas de Referência do Ensino Médio: Professor Trajano de Mendonça, em Jardim São Paulo, no Recife, na Adelaide Pessoa Câmara, em Marcos Freire, em Jaboatão dos Guararapes, e de Paulista, no município mesmo nome. “Percebemos que, após cursar o primeiro ano do Ensino Médio, eles acabam optando por outra escola, até com qualidade inferior, por não conseguirem lidar com as diferenças de aprendizagem e realidades”, analisa Fernando Neves, coordenador do Alavanca na Escola.

A aproximação com os jovens já começou no ano passado, quando a ONG conversou com eles para ouvir os problemas enfrentados durante o processo de aprendizagem e, durante dois anos de execução do projeto, uma equipe multidisciplinar vai atuar em cada instituição. Ela será formada, a partir de janeiro, pelo consultor do projeto e a gestão da escola, com a presença de professores, diretoria e demais agentes interessados em contribuir para o ensino.

Após essa primeira etapa, o cronograma vai considerar outras, como a listagem dos problemas que interferem no aprendizado, coleta de dados que comprovem a interferência e encontrar as causas. “É um processo complexo e aprofundado porque todas as fases envolvem estudos, embasamentos teóricos e mensuração. Tudo articulado e desenvolvido pela equipe junto aos estudantes, que são o nosso foco”, afirma Fernando.

Após a definição do principal problema a ser resolvido, com investigação das possíveis causas, eles vão validar a hipótese com o uso de dados e desenvolver um projeto de melhoria em cada escola. “Além de resolver algo que esteja impedindo a permanência dos estudantes, temos a intenção de deixar como legado o entendimento de que cada instituição pode dar continuidade ao projeto de forma independente”, finaliza.

Educar para Transformar – Além do Alavanca, na 7ª edição do Educar para Transformar foram selecionados, por votação popular, outros nove projetos espalhados pelo Brasil para receber o apoio do Instituto MRV. Esse é o segundo projeto desenvolvido pela Somos Professores. Na edição anterior, a organização desenvolveu o “Programa Alavanca”, com o apoio de projetos de 15 professores de escolas municipais de Jaboatão dos Guararapes. Neste biênio 20/21, a ONG vai realizar pela primeira vez o “Alavanca na Escola” tendo como público-alvo o desenvolvimento dos alunos. O projeto irá receber capacitações em gestão, acompanhamento de sua evolução e um aporte financeiro de R$160 mil para o desenvolvimento das atividades durante dois anos. “Em um país com grande desigualdade social é gratificante ver o interesse das OSC’s e das escolas em fazer a diferença, em proporcionar inclusão e melhorar as condições de acesso à educação de crianças e adolescentes. Estamos felizes com o resultado e temos a certeza de que estarmos no caminho certo para o desenvolvimento de um Brasil com mais oportunidades”, afirma Eduardo Fischer, presidente do Instituto MRV.