Escola Dom Bosco certifica empresas que priorizam contratação de aprendizes em situação de vulnerabilidade social

12/11/19 às 14:18 – Por Jaqueline Oliveira para o Blog do Andros 

ADOLESCENTE-APRENDIZ

Divulgação

Entendendo que a Lei de Aprendizagem não deve ser aplicada apenas visando o cumprimento de cotas, mas sim na perspectiva de desenvolvimento social de adolescentes e jovens, sobretudo oriundos de situação de vulnerabilidade social. A Escola Dom Bosco, promove na próxima quinta-feira, 14 de novembro, o V Encontro de empresas.

Na ocasião serão certificadas empresas e órgãos que utilizam o Programa Jovem Aprendiz como alternativa de possibilidades para os jovens em situação em vulnerabilidade social. Tendo como objetivo apresentar valores e ações pelos quais podemos juntos alicerçar na promoção social e transformação da sociedade.

A expectativa é buscar através de suas ações a sensibilização e envolvimento das empresas parceiras no sentido de esclarecer e orientar sobre os procedimentos referentes ao Programa de Aprendizagem, Lei 10.097/2000.

Sobre o Programa Jovem Aprendiz 

A Lei da Aprendizagem, nº 10.097/2000, juntamente com o Decreto Federal nº 9.579/2018, determina que as empresas de médio a grande porte devem contratar uma porcentagem equivalente de 5% a 15%, do quadro de trabalhadores, em funções que demandem formação profissional, adolescente/jovem com idade entre 14 e 24 anos (não se aplica o limite de 24 anos para pessoa com deficiência). O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática.

Serviço: 

O quer? V Encontro das Empresas Parceiras do Programa Jovem Aprendiz.

Dia: Quinta-feira, 14 de novembro de 2019.

Horário: Das 09h às 12h

Local: Auditório da Escola Dom Bosco – Av. Abdias de Carvalho, 1855, Bongi – Recife-PE.

Diabetes: problema cresce no Brasil e pode levar até à cegueira

Próxima quinta (14) é o Dia Mundial do Diabetes

12/11/19 às 11:24 – Blog do Andros 

Alexandre

De acordo com Alexandre Ventura, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo e oftalmologista do Instituto de Olhos Fernando Ventura, o olho é o primeiro órgão a ser afetado. Foto: Divulgação

A diabetes cresceu 61% nos últimos 10 anos e já atinge 9% dos brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. Além disso, estima-se que 80% dos pacientes com qualquer um dos tipos da doença não sabem que ela pode atingir os olhos. Todos os tipos do diabetes podem originar problemas sérios de visão. Em geral, eles começam como micro sangramentos nos olhos, detectados apenas por exames clínicos. Se não diagnosticados no início, podem evoluir para a retinopatia diabética, causada pelo desregulamento de açúcar no sangue.

De acordo com Alexandre Ventura, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo e oftalmologista do Instituto de Olhos Fernando Ventura, o olho é o primeiro órgão a ser afetado. Com a doença, pode ocorrer sangramentos na retina ou dentro do olho e edema na mácula, que é a área central da retina responsável pela visão de detalhes, cores e leitura. Além de retinopatia diabética, esse problema pode causar glaucoma e catarata.

“A diabetes é uma causa frequente de cegueira porque o olho é o órgão mais vascularizado do corpo humano. A diabetes afeta os vasos, artérias e veias. Quem tem hiperglicemia, ou seja, glicose aumentada no sangue, vai estar ‘enferrujando’ essas veias e artérias de dentro pra fora. Se o diabético fizer um tratamento periódico, com consultas e exames de rotina, é possível tratar os problemas de visão e, em certos casos, até reverter a situação. Porém, em quadros avançados, há muito tempo sem tratamento, a recuperação da visão pode ser irreversível”, comentou o médico.

Não necessariamente uma pessoa que come bastante doce e carboidrato terá diabetes, pois tem um bom funcionamento do pâncreas. Ele é responsável por liberar a insulina, esta é quem tira a glicose da veia e leva para as células. A hiperglicemia ocorre quando não há insulina suficiente.

A doença não tem cura, mas pode ser tratada. “O controle glicêmico rigoroso e hábitos saudáveis são as principais medidas a serem adotadas pelos pacientes a fim de evitar complicações. Acompanhamento oftalmológico periódico é muito importante, pois, se necessário, o paciente pode ser tratado com aplicação de laser, implantes de medicações especiais dentro do olho e cirurgia. O melhor prognóstico é a prevenção”, explica o oftalmologista do Instituto de Olhos Fernando Ventura.

DOENÇA SILENCIOSA – É possível que o paciente passe meses sem conhecimento de que possui diabetes. Por isso, o controle da glicemia, feito por exames de sangue é fundamental para diagnóstico rápido e tratamento eficaz da doença. Isso também funciona com os problemas de visão. O oftalmologista pode ser o primeiro a identificar problemas vasculares que podem ser sintomas da doença.

Ex-presidente confirma presença no Festival “Lula Livre”

12/11/19 às 10:50 – Atualizada em 14:38 – Por Andros Silva 

O ex-presidente Lula, solto na última sexta-feira (08), confirmou participação no Festival que leva seu nome. O “Lula Livre”, previsto para começar às 12h do domingo (18) na Praça Nossa Senhora do Carmo, no Recife, terá shows, entre outros, de Siba, Marcelo Jeneci, Odair José e Mundo Livre S/A. O evento já programado para acontecer antes mesmo da soltura do político, agora se transforma num grande ato para celebrar sua liberdade.

Lula-2

Lula estará no Recife para festival que celebra sua soltura. Foto: Reprodução