Livro esgotado há 15 anos sobre a importância de Villa-Lobos na MPB ganha nova edição

Com primeira tiragem reduzida apenas no Rio de Janeiro, “Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira, uma Visão sem Preconceitos”, de Ermelinda Paz, é reeditado pela Tipografia Musical, com atualizações e nova arte gráfica

31/10/19 às 11:22 – Por Cezanne Comunicação/Blog do Andros 

ermelinda

Ermelinda Paz. Foto: Bianca Burnier

Quinze anos depois de uma tiragem reduzida e local – na época, conseguida através do patrocínio da Eletrobrás, pela Lei Rouanet – uma obra prima da literatura musical ganha sua segunda edição, agora com distribuição nacional, revisitada e atualizada. O livro “Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira, uma Visão sem Preconceitos” (Ed. Tipografia Musical, preço médio R$ 55,00, 207 páginas), da renomada pesquisadora e professora Ermelinda Paz, é fruto de um estudo iniciado há 30 anos, quando a autora ganhou um concurso de monografias com esse tema.

Baseando-se em testemunhos, fotografias, documentos de época, reportagens, Ermelinda reuniu em sua publicação tudo (ou quase tudo!) que se publicou sobre ele e os discos lançados com suas músicas (centenas de obras). Através de um texto fácil, acessível, sem deixar de lado o rigor acadêmico na ampla pesquisa, o livro destrincha a vida de Villa-Lobos desde novo, na segunda década do século passado, quando jovem e muito empobrecido pela morte prematura do pai, Villa-Lobos decide vender livros raros que herdara para poder financiar o seu sonho de viajar pelo país.

As dificuldades financeiras também o levaram a trabalhar como músico de operetas e de cinema (na época, grupos ou solistas animavam as ante-salas). A sua contribuição na educação musical juvenil, através do Canto Orfeônico – que reunia milhares de jovens e crianças em Estádios – também foi bastante aprofundada pela autora, que ainda ressalta o verdadeiro objetivo do maestro em educar socialmente através da música, não apenas uma exibição artística ou recreativa. O maestro não apenas levava música para multidões, mas também se protagonizou como, provavelmente, o primeiro músico erudito a reconhecer o valor das manifestações populares, compondo inclusive para o violão, um instrumento marginalizado e bastante desprivilegiado na época.

capa

Capa Villa-Lobos/Divulgação

Filho de um intelectual que gostava de promover saraus musicais em casa, recebendo a nata dos músicos populares, como Pixinguinha, Sinhô, João da Baiana e Donga, Villa-Lobos tinha uma especial relação de amizade e companheirismo com Cartola – através de testemunhos, o leitor se surpreenderá com hábitos pouco conhecidos do maestro, como seu interesse especial em prestigiar e vivenciar por tantas horas o Buraco Quente (pé do morro), na Mangueira.

Assim como Pixinguinha e outros músicos da época, Villa-Lobos também tinha o seu mecenas, Carlos Guinle, a quem sempre se preocupava em registrar, em cartas, a devida prestação de contas e o não desperdício – publicadas no livro, muitas dessas cartas revelam também a grande preocupação de Villa-Lobos em cuidar bem de sua obra e de afirmar sua gratidão pelo patrocínio. O livro traz também depoimentos de músicos variados, como Tom Jobim, Wagner Tiso, Edu Lobo, Egberto Gismonti, Elizeth Cardoso, Herivelto Martins, João Pernambuco, Vicente Celestino, Nana e Dorival Caymmi, dentre muitos outros grandes nomes da música brasileira, todos revelando o quanto de Villa-Lobos existe em suas composições.

Comprar online www.tipografiamusical.com.br/loja

Fala Leitor: Em Santo Aleixo, bueiro entupido há meses exala mau cheiro e dificulta vida de moradores

Leitor diz que já procurou resolver o problema junto a Regional 1, responsável pela área, mas até o momento nada foi feito no local

31/10/19 às 10:39 – Por Andros Silva 

bueiro

Fotos enviada pelo morador

Um bueiro entupido vem tirando o sono dos moradores da Rua Garanhuns, em Santo Aleixo. Com a água suja escorrendo pela via, o mau cheiro exalado acaba adentrando as residências, sendo inalado por quem nelas residem. De acordo com o leitor Paulo José, que procurou o Blog, via nosso WhatsApp (98356-8441), a Regional 1, responsável pela área, foi procurada e prometeu uma visita ao local, o que até o momento desta publicação não aconteceu. “Andros, poderia nos ajudar? Essa é a situação da nossa rua, a Prefeitura de Jaboatão já foi alertada sobre isso. Já faz mais de um mês e até agora não cumpriram a promessa de resolver essa situação”, contou.

Problemas na comunidade? Entre em contato com o Blog do Andros através do nosso WhatsApp: 98356-8441 ou se preferir pode usar o e-mail: blogdoandros@gmail.com

Leia também
Fala Leitor: Após matéria do Blog, Prefeitura do Jaboatão envia equipe para desentupir bueiro em Santo Aleixo

Jaboatão abre rodada de renegociação de débitos ajuizados

31/10/19 às 10:54 – Do site da Prefeitura 

di

Divulgação

Contribuintes do município do Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, têm, a partir desta terça-feira (29) e até o dia 8 de novembro, a oportunidade de renegociar dívidas ajuizadas no Fórum Henrique Capitulino, localizado na BR-101, bairro de Prazeres. A expectativa é que sejam arrecadados cerca de R$ 5 milhões em débitos com Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Tributos Mercantis e Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Os descontos dos juros e multas do IPTU podem chegar a 90%.

O atendimento vai das 9h às 16h, de segunda a sexta-feira, na Vara de Execuções Fiscais. A partir do dia 4 de novembro, haverá um esforço concentrado, com a Semana Nacional da Conciliação, também no Fórum Henrique Capitulino, visando à solução de conflitos por meio da mediação e conciliação.

Abaixo-assinado defende a brincadeira nas ruas

Campanha “A rua também é nossa” está coletando assinaturas para tornar lei o fechamento de ruas para que carros deem espaço para crianças brincarem com segurança

31/10/19 às 10:19 – Blog do Andros 

festa-rua

Festa dos Becos no Arruda. Durante um turno, uma das ruas do bairro é fechada para que crianças ocupem o espaço, se reconectando com as clássicas brincadeiras de locais públicos com segurança. Foto: Rodrigo Garcia

A tranquilidade de brincar na rua, com segurança e espaço dedicado apenas a essa prática, ainda não é realidade de muitos bairros do Recife. Seja morador de comunidade periférica ou da classe média e alta, o distanciamento do convívio em espaços públicos vai comprometendo o desenvolvimento de crianças, em especial as que possuem até seis anos de idade.

É ancorada nesse cenário que a Pirilampo Criativo, projeto da Usina da Imaginação, organização civil que atua nas comunidades da América Latina com a promoção de ações educativas e de arte para crianças da primeira infância, está coletando assinaturas para o abaixo-assinado da campanha “A rua também é nossa”. No período de 1º a 12 de novembro, dez voluntários vão se intercalar nos bairros Arruda, Recife Antigo, Boa Vista, Santo Antônio, Campo Grande, Graças, Iputinga, entre outras áreas, para explicar a proposta à população, que pode assinar e apoiar o documento, também está disponível no https://aruatambemenossa.org/. A expectativa é de atingir duas mil assinaturas até o dia 12 de novembro. Após o prazo, o resultado da campanha será apresentado à Prefeitura da Cidade do Recife para se transformar em lei.

“Queremos mostrar a potencialidade e pluralidade que a rua possui. Ela não é apenas caminho e acesso. A via é lugar de existência, diversão, aprendizado, coletividade e, principalmente, para as crianças pequenas, a rua deve ser lugar de encontro e do brincar”, afirma Rita de Cácia Oenning da Silva, diretora executiva da Usina da Imaginação e coordenadora de Pirilampo Criativo Lab. Durante o ano, as instituições promovem, desde 2011, a Festa dos Becos no Arruda, Campo Grande, e outros bairros da Zona Norte. Durante um turno, uma das ruas do bairro é fechada para que crianças ocupem o espaço, se reconectando com as clássicas brincadeiras de locais públicos com segurança.

“É um trabalho de sensibilização com os moradores para que se apropriem de seu espaço geográfico e político, mostrando seu protagonismo na busca por melhorias para as comunidades em prol das crianças pequenas”, coloca Kurt Shaw, coordenador do Projeto e diretor executivo de Usina da Imaginação.

Funase faz novas convocações no Grande Recife, em Timbaúba e em Caruaru

Agentes socioeducativos devem se apresentar até o próximo dia 6 em locais que variam conforme a região em que vão atuar

31/10/19 às 10:10 – Assessoria 

agentes

Divulgação

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) está fazendo novas convocações para o cargo de agente socioeducativo. Desta vez, as vagas a serem preenchidas estão em unidades socioeducativas situadas na Região Metropolitana do Recife (RMR), em Timbaúba, na Zona da Mata, e em Caruaru, no Agreste do Estado. A lista dos profissionais chamados foi publicada na edição desta quinta-feira (31) do Diário Oficial do Estado (DOE) e também está disponível no site www.funase.pe.gov.br.

Para a RMR, estão sendo convocadas quatro pessoas que estavam no cadastro de reserva da seleção simplificada realizada em 2018. Já em Timbaúba, que teve um certame específico, mais um aprovado está sendo chamado. Por fim, em Caruaru, outras quatro pessoas estão sendo convocadas, também do cadastro de reserva da seleção simplificada referente àquela região.

Os convocados devem se apresentar entre esta quinta-feira e o próximo dia 6 de novembro, das 8h às 13h, em locais que variam conforme a região em que vão atuar. Eles devem portar os documentos necessários para a contratação, que estão elencados no site www.funase.pe.gov.br. O não comparecimento será considerado desistência da vaga.

Quem foi convocado para atuar na RMR ou em Timbaúba deve se apresentar na sede da Funase, que fica na Avenida Conselheiro Rosa e Silva, 773, no bairro dos Aflitos, no Recife. Já os convocados para Caruaru devem comparecer ao Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), localizado na Estrada Carroçável, Sítio Lagoa dos Porcos, Boa Vista II, na zona rural do município.

Informações sobre essas e outras convocações de seleções simplificadas da Funase podem ser obtidas por meio dos telefones (81) 3184.5465 (Recife e Timbaúba) e (81) 3719.9432 (Caruaru).