28/10/19 às 12:47 – Do Blog de Jamildo 

crop
Sileno Guedes/Divulgação

Presidente do PSB em Pernambuco, o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes, reagiu fortemente às críticas do prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), ao governador Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, e o deputado federal João Campos, ambos do PSB. Segundo Sileno Guedes, Anderson Ferreira “com arrogância, tenta aparecer a todo custo atacando” os socialistas e que “só assim se tem notícias do prefeito de Jaboatão”.

O presidente estadual do PSB saiu em defesa também da atuação do governo Paulo Câmara na crise ambiental provocada pelo vazamento de óleo no litoral do Nordeste e relembrou a reunião com os prefeitos das cidades atingidas pelo material para discutir o tema com o governador. Demonstrando insatisfação com os rumos da reunião, Anderson Ferreira saiu antes do final do encontro e disparou críticas à gestão socialista.

“Muito antes de o prefeito (Anderson Ferreira) começar a usar de pirotecnia num momento em que todo mundo tem se unido, o PSB já atuava na frente estadual com ações para reduzir os danos. Mas, na reunião com prefeitos das áreas atingidas pelo óleo, ele foi o último a chegar e o primeiro a sair (disparando acusações e causando polêmicas vazias)”, diz Sileno, em nota divulgada na noite do domingo (28).

Ainda na nota, Sileno Guedes disse que o prefeito de Jaboatão deveria cuidar do município governado por ele.

“Prefeito, em vez de querer usar o PSB como plataforma para se promover, cuide do seu município, que está precisando muito de sua atenção”, afirma o mandatário socialista.

Sobrou até para o deputado federal André Ferreira (PSC), irmão de Anderson, acusado por Sileno de querer “blindar” o governo Jair Bolsonaro (PSL) da crise ambiental ao não ter assinado o pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Vazamento de Óleo, de autoria de João Campos.

O fato do clã Ferreira ser aliado de Bolsonaro também foi usado para o presidente estadual do PSB disparar contra Anderson, chamado pelo dirigente socialista de “preposto” do governo federal. “Trata-se de um prefeito alinhado ao Governo Federal e que, de forma oportunista, se comporta como um preposto daqueles que demoraram 41 dias para implantar a primeira ação do Plano Nacional de Contingência”, diz o socialista.

Confira a nota na íntegra

Só assim se tem notícias do prefeito de Jaboatão. Como de costume, com arrogância, tenta aparecer a todo custo atacando o governador Paulo Câmara, o prefeito Geraldo Julio e também o deputado federal João Campos.

Com certeza, não é ele o mais indicado para querer dar lição sobre como proceder no caso do vazamento de óleo. Trata-se de um prefeito alinhado ao Governo Federal e que, de forma oportunista, se comporta como um preposto daqueles que demoraram 41 dias para implantar a primeira ação do Plano Nacional de Contingência, que trata de emergências como a que vivemos atualmente.

Muito antes de o prefeito começar a usar de pirotecnia num momento em que todo mundo tem se unido, o PSB já atuava na frente estadual com ações para reduzir os danos. Mas, na reunião com prefeitos das áreas atingidas pelo óleo, ele foi o último a chegar e o primeiro a sair (disparando acusações e causando polêmicas vazias).

Na frente nacional, o PSB tem liderado o processo com o pedido de CPI protocolado pelo deputado João Campos. Inclusive, o irmão do prefeito, que é deputado federal, não deu sua assinatura a favor da CPI. Eles têm alguma coisa contra a investigação dos fatos? Querem blindar o Governo Federal da responsabilidade sobre a mitigação dos danos causados?

Prefeito, em vez de querer usar o PSB como plataforma para se promover, cuide do seu município, que está precisando muito de sua atenção.

Sileno Guedes
Presidente estadual do PSB