O ator Walmir Chagas é ícone pernambucano e patrimônio artístico do Brasil

18/10/19 às 17:17 – Por Sidha Moitinho / Colunista Blog do Andros

walmir-sidha

Walmir Chagas e Sidha Moitinho. Foto: Andros Silva

Quando um artista nasce estrelinhas pontilham lindos sorrisos no céu, aplaudindo a Deus o verdadeiro poder criativo da vida. Ele nos entrega como um presente especial esses “super humanos que tem a missão de usar a arte para alegrar e enfeitar a vida com outras cores cintilantes que só eles sabem como misturar. A arte vem de Deus e o mundo precisa compreender: “comamos ou bebamos, devemos fazer tudo para glória de Deus”  (Apóstolo Paulo). Conversando com Walmir Chagas, multiartista admirável, ficou claro, que ele tem muito amor pra dar e muita arte para ainda inventar.

Contemplei no brilho do seu olhar o imenso contentamento por ter nascido para tocar as pessoas com suas rimas, fazê-las gargalhar com suas doces palhaçadas, emocioná-las com suas histórias, dançando com elas na melodia das suas canções… Tão simples assim! Tão grandioso assim! Assim ele é… Senti emanar do seu coração porções generosas de gratidão, candura, solidariedade e, ainda outros princípios e valores que só realçam seu talento, e o tornam uma personalidade especial, carismática, um ser humano lindo!

A vida pra ele é uma via de mão dupla, por isso não guarda rancor por quem de algum modo lhe decepcionou… Estendendo-nos os braços e nos tocando todo tempo com sorrisos largos. Sua energia é vibrante quando fala da sua família e de alguns recortes das lembranças da sua infância e adolescência… Ele voa suave embalado no amor aos quatro filhos, a mais velha, Maíra, é veterinária e se saiu ao pai. É cantora e mãe do seu neto Miguel, Tainá mora em Goiânia-GO, Tendi, o filho rapaz aniversaria agora em outubro, e o caçula Francisco veio dar sentido intenso a sua vida, que sob o manto da paternidade escolhida, seu coração abraçou.

walmir-filho

Walmir Chagas e Francisco. Foto: Andros Silva

Os pais de Walmir Chagas partiram muito cedo, mas ainda deu tempo vê-lo iniciando na sua caminhada na direção dos holofotes do palco. Chagas é um artista que naturalmente  agiganta sua intelectualidade dissertando sobre a arte e a cultura nordestina entre outros temas como a política… Estar com o artista, com a pessoa do Walmir foi como degustar favos de mel sob a luz da manhã, pois ele é, um exemplo contagiante de como deve ser o verdadeiro artista: humano, gentil, talentosíssimo, ricamente ousado em tudo que faz. Walmir Chagas o ator, o palhaço, o desenhista que já foi professor de artes, o músico, o compositor, o diretor, aquele faz televisão, o roteirista, o bailarino e tudo mais que a arte lhe convidar para arquitetar… Tudo o que ele realizar será grande, completo… Se rendendo, se entregando… Se banhando no rio fluente que corre nas suas veias, que é a arte de artista ser… Sua história tem vida pulsante, coisas de rir e, outras nem tanto…   Walmir Chagas teve como mentor o grande Ariano Suassuna.

Chagas continua parte integrante e atuante do movimento Armorial que teve no grande Ariano um dos líderes principais deste movimento cultural e artístico, cuja visão desde o princípio foi de criar uma arte erudita com os elementos da arte popular nordestina, evidenciando a cultura e arte sertaneja. Walmir diz com convicção que o artista que busca no lugar do erudito, a elitização da cultura popular, comete um erro absurdo e imperdoável. Entre tantas realizações ele participou do clip da música “A cidade”  do inesquecível Chico Science o principal colaborador do movimento Manguebeat nos meados do anos 90.

mangaba

Walmir Chagas/Véio Mangaba. Foto: Apacepe

Em sua carreira vitoriosa, o artista também desfrutou da parceria e do apoio de Gilberto Gil, fazendo várias aberturas nos shows do cantor. Foi amigo de Reginaldo Rossi de quem regravou a música “Ai amor” com seu personagem extraordinário o Véio Mangaba, um tributo ao saudoso cantor, mas antes disso gravou outras músicas e, no Youtube a gente encontra o vídeo de um disco intitulado  “20 Super Sucessos.”  O povo pernambucano tem a alegria e o privilégio de ter em seu seio um artista da magnitude de Walmir Chagas que deu vida a um dos personagens mais ricos da sua carreira e da cultura do Estado, acima mencionado – Véio Mangaba.

Ele trás a marca além do humor inteligente, crítico-reflexivo as características da arte popular do pastoril, cuja a influência nasce do pastoril de Portugal que busca lembrar o nascimento de Jesus, porém, com o Véio Mangaba, o pastoril ganhou outro contexto, o profano, que é um tipo de folclore nordestino, especialmente pernambucano. O personagem do Véio Mangaba é acompanhado de suas pastoras nada boazinhas. Vamos dar uma apimentada na nossa conversinha de “pé de oreia,” trazendo Walmir Chagas e o Véio Mangaba para o nosso Bate Bola. Continuar lendo