“Imprensa não ajuda”, diz vereador da oposição sobre CPI do Complexo

Com pergunta insinuosa, outro parlamentar questiona uma emissora de TV local por ter desistido de realizar matéria onde entrevistaria os oposicionistas, destacando e dando publicidade ao caso. O questionamento levou os seguidores do vereador a acusar o canal de receber quantia financeira para abdicar da produção que traria possíveis danos a imagem do prefeito Anderson Ferreira

19/09/19 às 22:40 – Por Andros Silva 

A abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) em Jaboatão, determinada pela  2ª Vara da Fazenda Pública do município, para investigar supostas irregularidades no aluguel do imóvel onde está o Complexo Administrativo da cidade, que abriga as secretarias da Prefeitura, começa a desenhar um novo capítulo.

Vereadores da oposição, passaram a atacar a imprensa local, acusando-as de não dá a devida atenção ao acontecimento. Num vídeo publicado por Vilmar da Mudança, o pequeno texto que acompanha as imagens postadas em sua conta do Facebook, deixa claro a indignação do edil com os veículos locais de comunicação… “Imprensa não ajuda”, diz ele que complementa acreditando ter o apoio da população… “Uma luta há mais de 1 ano, e graças a Deus o PODER JUDICIÁRIO foi a favor do nosso Requerimento de abertura da CPI do Complexo Administrativo. A IMPRENSA NÃO AJUDA, mas o POVO e as redes sociais vão nos ajudar”, afirmou confiante.

Daniel Alves, possível nome a ser lançado como candidato a prefeito pelo PCdoB, foi além. Com pergunta insinuosa, nas redes sociais, ele questiona uma emissora de TV local por ter desistido de realizar matéria onde entrevistaria os oposicionistas, destacando e dando publicidade ao caso. O questionamento levou os seguidores do vereador a acusar o canal de receber quantia financeira para abdicar da produção que traria possíveis danos a imagem do prefeito Anderson Ferreira. “Uma emissora faria uma gravação sobre a CPI para investigar Anderson Ferreira. Acabou de cancelar, porquê será?”, atacou.

Opinião

Blog Chapa branca – Emissoras de TVs, Blogs, e simples páginas no Facebook andam de fato com comportamentos estranhos. É notório a determinação e empenho de alguns em promover todas as ações “positivas” do prefeito Anderson Ferreira, ignorando as que trariam possíveis prejuízos ao seu nome, como a CPI, por exemplo.

Existe um Blog de política então, que não publica sequer uma linha quando o assunto parece colocar Anderson em maus lençóis, alguns dizem que o tal blogueiro tem um laço com o gestor, já que sua esposa trabalha na gestão do Ferreira, mas isso já é outra história.

Canal de TV – Sabemos a qual canal de TV o vereador se refere… Confesso assistir, enquanto tomo meu café da manhã, uma atração jornalística da casa, e quase sempre acabo perguntando; “quanto vale todo este espaço dedicado a mostrar as “coisas boas” feitas na gestão Anderson Ferreira?” Fica mesmo a sensação que existe ali uma compra de espaço publicitário, disfarçado de conteúdo jornalístico… E claro, se receber bem, fica difícil na hora de criticar.

A radicalização do parlamentar – Com tudo, quando vejo, ou melhor, leio Vilmar dizer que a “imprensa não ajuda”, ou seja, não “divulga”, o vereador acaba atestando seu diploma de mau leitor. Foram vários os Blogs e jornais de compromisso que tocaram no assunto, alguns até de forma veemente. Parece que para o vereador, imprensa chama-se TV, apenas. Outro incômodo causado, ofensivo a este blogueiro e tenho certeza que a toda equipe deste humilde Blog, é ignorar a nossa dedicação em ir em busca de respostas, fazer um trabalho sério, prezando pelo bom jornalismo. É como se “imprensa”, para valer mesmo, ainda no pensamento do vereador, fosse apenas os “grandes” veículos da capital… Afinal estamos há muito fazendo um trabalho dedicado na terrinha, se a imprensa não ajuda, o que estamos fazendo aqui? Ou não somos imprensa? A radicalização do parlamentar, acaba lhe deixando cego e fazendo parecer injusto, pouco respeitoso… Não inclua todos no mesmo barco vereador, por favor!

Sesc leva programação de lazer, sustentabilidade e cultura para o Bairro do Recife no REC’n’Play

Entre as ações, estão aula de passinho, oficinas de brinquedos, apresentação de cosplays, rodas de conversas apresentações culturais, como o pocket show de Sofia Freire, e 19 pontos de estação de reciclagem

19/09/19 às 17:31 – Dupla/Blog do Andros 

ju

Juliano Holanda/Divulgação

Pela primeira vez, o Sesc Pernambuco será um dos participantes do REC’n’Play. Ancorada na sinergia do propósito do evento, a instituição vai promover ações de sustentabilidade, lazer e cultura no Espaço Sesc, que ficará na Avenida Rio Branco, no Bairro do Recife. No boulevard, a instituição terá um palco e área de convivência na rua para oferecer programação a crianças e adultos gratuitamente de 2 a 5 de outubro. O festival é realizado pelo Porto Digital e Ampla Comunicação, em parceria com a Prefeitura do Recife e Sebrae.

“Definimos um calendário de atividades que dialogam com as demandas sociais, trazem diversão, mas que principalmente gerem conhecimento e inclusão”, afirma o diretor do Sesc Pernambuco, Oswaldo Ramos. Assim, utilizando jogos, brincadeiras e linguagens culturais, como artes cênicas e dança, a programação, em parceria com a Rede Globo, vai falar sobre mercado e produção musical, ancestralidade, sustentabilidade, aprendizagem infantil, ludicidade, entre outras temáticas. Durante o período, o público poderá participar de intervenções artísticas, rodas de conversas, aula de passinho, shows, oficina de brincadeiras, apresentação de cosplay e grupos K-pop, videomapping, entre outras ações. Continuar lendo

Em nota à imprensa, Prefeitura do Jaboatão fala da abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no município

“A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes aguarda o julgamento final com tranquilidade, na certeza de que ocupa uma estrutura que facilita a tomada de decisões e otimiza os gastos dos recursos públicos”, diz trecho do comunicado 

19/09/19 às 11:36 – Por Nizinha Lins 

A1F1551B-4C26-4D81-B558-226896F5814A

Foto: Chico Bezerra

Em nota enviada à imprensa, a assessoria de imprensa da Prefeitura do Jaboatão falou sobre a decisão da 2ª Vara da Fazenda Pública de Jaboatão dos Guararapes, que  determinou na última segunda-feira (16) a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no município.

Nota de Esclarecimento

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes considera que o assunto sobre Comissão Parlamentar de Inquérito é pertinente à Câmara Municipal, contudo informa que já prestou os esclarecimentos ao Tribunal de Contas do Estado, que atestam a funcionalidade e eficiência do Complexo Administrativo. Já houve julgamento parcial no TCE que estabelece valor de aluguel superior ao determinado pela auditoria realizada. Portanto, a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes aguarda o julgamento final no TCE com tranquilidade, na certeza de que ocupa uma estrutura que facilita a tomada de decisões e otimiza os gastos dos recursos públicos.

Assessoria de Imprensa da Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes

Alunos da rede municipal do Jaboatão conquistam medalha de bronze na 14ª Olimpíada Brasileira de Matemática

19/09/19 às 10:40 – Do site da Prefeitura 

alu

Foto: Divulgação

A 14ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), realizada em outubro de 2018, reuniu mais de 18 milhões de estudantes de todo o Brasil. Desses, 500 alunos foram premiados e dois deles são do Jaboatão dos Guararapes, das escolas municipais Oscar Moura e São Sebastião. O aluno Jonas Manoel Barbosa de Lima, do 6º ano, foi um dos jaboatonenses a receber a medalha de bronze. O outro contemplado com a premiação foi Artur Ferreira de Lira, do 9º ano.

*Parabéns 

Acúmulo de lixo forma ‘ponte’ no rio Jaboatão, no Grande Recife

Material reutilizável, como garrafas, baldes de plástico e papelão, se acumula nas imediações da avenida Manoel Rabelo, em Engenho Velho

19/09/19 às 10:29 – Da Folha de Pernambuco 

342588,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

Acúmulo de lixo cobre superfície do rio Jaboatão, no Grande Recife. Foto: Caio Danyalgil/Folha de Pernambuco

Na correria das ruas, quem passa da Curva do Caranguejo, na avenida General Manoel Rabelo, no bairro de Engenho Velho, pode não perceber, à primeira vista, a camada de lixo que cobre uma parte da superfície do rio Jaboatão. Da margem, uma pequena trilha leva ao ponto onde o esgoto que vem da comunidade do outro lado da avenida encontra o acúmulo de rejeitos. Garrafas, baldes de plástico, isopor, papelão e outros resíduos formam uma “ponte” de material reutilizável por onde os mais corajosos se dispõem a caminhar até a outra margem.

“Eu subo, passo por aqui sempre. Já cheguei a pescar aqui quando dá cheia. E dá muito bicho, rato, escorpião, cobra. Quando está tudo cheio, duro, a gente joga bola”, conta Salomão Santos do Nascimento, de 14 anos. Mesmo com um volume de dejetos um pouco menor, o local lembra a parte poluída do rio Beberibe, no limite entre Olinda e Recife, mostrada pela Folha de Pernambuco na edição de 30 de julho. Por lá, também era possível andar sobre os rejeitos. Um problema urbano e ambiental que é agravado nos dias de chuva, quando os rios e canais transbordam e atingem as casas.

Em Jaboatão, neste inverno, não houve transbordamento como ocorreu em Beberibe, mas a água subiu quase até a avenida, segundo moradores. “O rio ficou quase rente à pista. O lixo prejudica a passagem da água, os animais. As capivaras dão cria, ficam muito aqui, [tem] jacaré. Fora que, quando chove, traz muito peixe, os meninos pescam. É um perigo, pode acontecer um acidente”, alerta a comerciante Regina Pereira, 59.

“Aqui é a questão do mato que invade o rio e a sujeira se acumula”, afirma o pedreiro Ezequias Roberto da Silva, 28, que mora há 20 anos na localidade e se diz acostumado a andar por cima do lixo. “A gente já tem certa experiência”, brinca. O professor Victor Hugo Araújo, 28, é morador do condomínio que fica na margem oposta à da avenida Manoel Rabelo. Ele lamenta a falta de conscientização. “A população joga esse lixo e acaba prejudicando todo o ambiente”, ressalta.

A Prefeitura de Jaboatão informou que faz a coleta nas margens, mas a limpeza no leito do rio é de responsabilidade do Governo do Estado. Por meio de nota, a Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco (Seinfra) disse que, de acordo com a lei 12.305/2010, o recolhimento de resíduos sólidos dos rios é da responsabilidade dos municípios e que, ao governo estadual, cabe o serviço de dragagem, dentre outras atribuições de gestão das águas.

O texto afirma ainda que está à disposição da prefeitura e da sociedade civil para participar de ações de informação e sensibilização social sobre os impactos ambientais causados pelo descarte inadequado de resíduos no rio Jaboatão.

A reportagem procurou novamente a prefeitura para esclarecer sobre a responsabilidade pelo serviço de limpeza do rio. O poder público municipal informou que uma equipe foi enviada ao local para analisar as medidas a serem tomadas.

Inscrito em prêmio, projeto com adolescentes da Funase tem turma certificada em Jaboatão

Curso de Instalações Elétricas Residenciais, que já atendeu 40 pessoas desde 2018, está entre boas práticas que concorrem ao Innovare, maior premiação da Justiça brasileira

19/09/19 às 09:52 – Assessoria/Blog do Andros 

aulas

Foto: Rafael Souto Maior/Funase

Um projeto que já atendeu 40 pessoas desde 2018, a maioria, adolescentes em cumprimento de medida de internação, teve mais uma etapa concluída neste mês. A prática consiste na oferta do curso de Instalações Elétricas Residenciais (Básico) e Gestão de Pequenos Empreendimentos, por meio de uma parceria entre seis instituições. A ação tem sido tão bem avaliada que concorre à 16ª edição do Prêmio Innovare, o maior conferido pela Justiça brasileira, com divulgação do resultado prevista para até o fim do ano.

Nesta edição do curso, participaram das aulas dez adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Jaboatão dos Guararapes, unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) que já foi agraciada com o Innovare em 2014. Oito socioeducandos concluíram a carga horária e receberam certificado. Dez alunos da comunidade do entorno completaram a turma. Além da Funase, estão envolvidas no projeto a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), as paróquias Bom Pastor e Nossa Senhora da Boa Viagem, o Rotary Club do Recife – Largo da Paz e o Centro Educacional Dom Bosco – Jaboatão, local das aulas.

cer

Foto: Rafael Souto Maior/Funase

Essa foi a terceira turma do projeto. A primeira, no início de 2018, atendeu socioeducandos do Case Jaboatão e socioeducandas do Case Santa Luzia. Na ocasião, as aulas ocorreram na UFPE. Já no segundo semestre do ano passado, a turma seguinte teve aulas no Case Jaboatão. Agentes socioeducativos também foram incluídos e, no fim do curso, assim como os socioeducandos, obtiveram certificados e caixas de ferramentas para eletricidade, avaliadas em R$ 500 e doadas por integrantes da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem e do Rotary Club do Recife – Largo da Paz. O mesmo kit foi entregue aos concluintes da turma mais recente.

“Ações como essas mostram que os adolescentes podem construir projetos a partir das oportunidades que lhes são dadas, apesar dos percalços que já vivenciaram. O projeto também vem ajudando a consolidar uma trajetória de sucesso e referência da unidade da Funase em Jaboatão quando o assunto é educação”, avalia o coordenador geral do Case Jaboatão, Mozat Lourenço, fazendo referência a conquistas como o Innovare, em 2014, a certificação da escola que funciona na unidade pela Unesco, em 2015, e às duas vitórias consecutivas de socioeducandos no Concurso de Redação da Defensoria Pública da União (DPU), em 2017 e 2018.

ca

Foto: Rafael Souto Maior/Funase

INNOVARE – Uma aula do curso de Instalações Elétricas Residenciais (Básico) e Gestão de Pequenos Empreendimentos foi acompanhada por uma consultora do Innovare em junho deste ano. Os registros feitos no local foram encaminhados a um corpo de jurados composto por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), desembargadores, juízes, promotores de Justiça, defensores públicos e advogados. Ao todo, 617 práticas estão sendo avaliadas no Brasil. As próximas etapas envolvem a escolha dos vencedores, a cerimônia de premiação e a inclusão das ações em um banco de boas práticas.