02/09/19 às 23:03 – Por José de Siqueira / Colunista Blog do Andros

img_2085-12715484
Foto: Ricardo Cassiano

O batalhão de operações especiais do Rio de Janeiro merece parabéns ao salvar a vida de 38 passageiros do ônibus sequestrado na ponte Rio-Niterói. Dois atiradores de elite abateram o sequestrador alvejando-o duas vezes no peito e uma na perna. O criminoso tombou inerte antes que pudesse incendiar o coletivo com as 38 pessoas feitas reféns no seu interior.

Os policiais agiram em legítima defesa de terceiro, nos termos do art.25 do Código Penal, em conduta lícita conforme o artigo 23, Inciso II desse mesmo diploma legal. O governador do Estado e os circunstantes, que se aglomeravam nas imediações, deram sonoro grito, erguendo os punhos fechados em sinal de vitória, de comemoração, como se assistissem a um jogo de futebol e seu time fizesse o gol que o tornara vencedor. Morreu um delinquente e a comemoração de seu perecimento até parecia manifestação coletiva de desrespeito ao morto.

josepJosé de Siqueira Silva é Cel da PMPE,
mestre em Direito pela UFPE e
professor de Direito nas faculdades
IPESU e FOCCA

Contato: jsiqueirajr@yahoo.com.br