Adolescentes da Funase aprendem a produzir adereços de Carnaval

Oficina, que usa massa de biscuit na fabricação de brincos, é ministrada por agente socioeducativa do Cenip Recife

15/02/19 às 09:51 – Da assessoria para o Blog do Andros 

2_Oficina

O material é distribuído gratuitamente entre familiares dos socioeducandos ou vendido para outros visitantes por até R$ 5 em bazares da instituição. Marcelo Vidal/SDSCJ

Gliter, cola e massa de biscuit. Com poucos ingredientes e muita criatividade, adolescentes internados provisoriamente na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) estão desenvolvendo uma atividade artística e profissionalizante em clima de Carnaval. A mistura colorida dá origem a brincos, colares e pulseiras artesanais que podem ser usados na hora da folia. O material é distribuído gratuitamente entre familiares dos socioeducandos ou vendido para outros visitantes por até R$ 5 em bazares da instituição.

As oficinas artísticas ocorrem no Centro de Internação Provisória (Cenip) Recife, unidade da Funase onde adolescentes com idades entre 12 e 18 anos passam até 45 dias aguardando decisão judicial sobre um eventual cumprimento de medida socioeducativa. Por conta do período reduzido de permanência e da alta rotatividade do público interno, o curso tem duração adaptada a essa realidade e é concluído em menos de uma semana, com turmas de oito socioeducandos. As aulas incluem noções sobre a modelagem e pintura da massa de biscuit, a decoração com gliter e a colocação delicada de pedrinhas coloridas. Por fim, basta aguardar a secagem.

1_Oficina

O projeto é acompanhado pela equipe de pedagogia da unidade que, neste início de 2019, está ganhando novos espaços para a prática de atividades educativas. Foto: Marcelo Vidal/SDSCJ

As aulas são ministradas pela agente socioeducativa Alexandra Rodrigues, que é assistente social e já havia desenvolvido as oficinas com outros públicos de adolescentes antes de começar a atuar na Funase, em outubro de 2018. Juntamente com outra agente, Adriana Nunes, a experiência com biscuit teve início ainda no período de férias escolares, quando foram produzidos enfeites para lápis. Em fevereiro, por conta da proximidade do período momesco, as atividades passaram a ter ligação com o Carnaval. “Cheguei aqui e percebi que havia possibilidade de desenvolver esse trabalho. Acredito que isso contribui para que eles saiam fortalecidos, com mais autonomia e até com possibilidade de gerar renda. É o papel do educador social, que é como me vejo”, destaca Alexandra.

O projeto é acompanhado pela equipe de pedagogia da unidade que, neste início de 2019, está ganhando novos espaços para a prática de atividades educativas, esportivas e de qualificação profissional. “Estamos preparando a programação do ano de maneira muito positiva, contando com salas para jogos, capoeira, informática e oficinas, com o apoio de vários funcionários que têm habilidades que podem ser transmitidas para os adolescentes”, afirma a coordenadora técnica do Cenip Recife, Cristyane Galindo. “Eu já estou no quarto dia de atividade e estou gostando. Acho muito importante aprender coisas novas”, complementa o socioeducando K.R., de 17 anos, que está participando da oficina de confecção de adereços carnavalescos.

Esta entrada foi postada em Recife.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s