“Menino treloso” e “prefeitinho” eram algumas das palavras chulas usadas por Beto Mendonça para agredir Anderson Ferreira

04/02/19 às 11:59 – Por Andros Silva 

beto
Beto Mendonça fez um vídeo para se explicar e recebeu críticas dos seguidores. Foto: Reprodução/Facebook

Beto Mendonça, locutor que acabou ganhando notoriedade em Jaboatão dos Guararapes por sempre aparecer nas redes sociais atacando o prefeito Anderson Ferreira, resolveu abandonar o estilo agressivo que lhe deixou conhecido. Após passar meses “sumido”, voltou a aparecer no Facebook e no primeiro vídeo postado, anunciou a novidade, vai “trabalhar” lado a lado do prefeito Anderson Ferreira, gestor que Beto passou dois anos criticando e chamando de “menino treloso”, “playboy” e “prefeitinho”.

De acordo com Beto, espécie de “digital influencier” em Jaboatão, a mudança aconteceu depois da conversa que teve com o próprio administrador, ao seu convite. O bate papo lhe fez perceber que estava errado ao mostrar apenas “as coisas ruins” da atual gestão, e chegou a dizer em comentários respondendo seguidores que “servia apenas como massa de manobra de políticos” oposicionistas.

“Eu estava apenas servindo de massa de manobra para alguns políticos de nossa cidade.  Onde essa oposição estava me levando? Na verdade não estava me levando a lugar nenhum, enquanto alguns políticos ficavam apenas torcendo para “mim” ficar batendo na gestão, porém eu não tinha valor para tais”, escreveu.

Opinião

Quando vejo coisas como essas acontecerem, percebo o quanto a política de nossa cidade é nojenta, medíocre. Aqui, os que se dizem opositores, em sua maioria, vivem de criticar quem está no poder para ganhar uma resposta “satisfatória” deles. O “amor por Jaboatão”, clichê entre eles, não passa de falácias. O pior é que quem está com a caneta em mãos, acaba aceitando, cedendo a este tipo de jogo, e logo se apressa em dá o “cala boca”. Beto passou dois anos cego, e só conseguiu enxergar o que “há de bom em Jaboatão” agora, após essa conversa milagrosa com o prefeito cristão evangélico? Fico me perguntando qual foi o milagre real feito por Anderson para fazer mudar de opinião o homem que ficava tomado em ódio ao pronunciar seu nome?

Não vale a pena deixar esse texto longo, afinal nunca levei pessoas como Beto Mendonça lá muito a sério, o mesmo reconhece que seu trabalho não merecia crédito, reconhece no vídeo não ser um adapto da imparcialidade e que estava fazendo o tempo todo política a favor dos seus candidatos não eleitos, como levar um cara contraditório desses a sério? Uma hora diz ser por Jaboatão, outra que tudo não passou de politicagem. Não vou perder tempo prologando isso aqui, mas vale lembrar que quando o vereador Ênio Batista deixou a oposição, integrando a base do Governo Municipal, o próprio Beto tascou o pau no coitado, que naquele momento, tinha lá de fato seus motivos para mudar.

Eu particularmente não tenho nada contra mudanças de opiniões, de comportamento, e nem estou aqui preocupado com a transformação repentina do Mendonça aí. Também não faço parte de oposição e situação, como disse certa vez o vereador Messinho: “todos estão sempre preocupados em legislar em causa própria”, brigar por esses caras, não vale a pena, tô fora! Beto faz de sua vida o que bem entender, é maior e vacinado, mas tornou-se uma figura pública, hoje vidraça, terá que aprender a conviver com as pedradas. Só acho… Um cara que chegou a dizer que foi ameaçado por pessoas ligadas a gestão, hoje defender quem o ameaçou e ainda dizer que aceita um cargo, de fato, merece o título de “traidor”. “Resolvi me unir a gestão, pra tentar ajudar ainda mais a cidade que tanto amo. Sou um jaboatonense e mereço trabalhar por minha cidade. Nunca fiz questão de trabalhar em gestão alguma. Porém se o prefeito me oferecer um cargo eu vou dizer sim”, dá para acreditar? Seu vídeo, sua justificativa, suas palavras, não colou. Sendo seguidor, graças a Deus não sou, deixaria de seguir imediatamente. Será esquisito ver agora um Beto Mendonça cordeirinho, mostrando o “lado bom” do governo Anderson Ferreira. Será que em vez de menino treloso, o prefeito passará a menino de ouro?

Em tempo… Espero que Beto não fique chateado depois de ler a crítica aqui publicada. Até porque, para quem teve a coragem e cara de pau de classificar um homem importante como o prefeito de “menino treloso”  e “prefeitinho”, o que escrevi acima, torna-se bobagem.