Funase forma 36 adolescentes em cursos ofertados em parceria com o CIEE

Aulas de Montagem e Manutenção de Computadores e Encadernação foram ministradas a socioeducandos do Case Cabo

01/02/19 às 11:25 – Da assessoria para o Blog do Andros 

cert

Foto: Marcelo Vidal/SDSCJ

“É uma oportunidade muito boa de aprendizado. Já que estou aqui, a hora de aproveitar os cursos e a escola que estão oferecendo pra gente é aqui dentro da Funase. Vou ter mais chance de trabalhar quando chegar lá fora”. Foi com essas palavras que o socioeducando C.H., de 18 anos, exprimiu a felicidade de ter concluído o curso de Montagem e Manutenção de Computadores, oferecido no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho. Nos últimos dois anos, a unidade, que é administrada pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), já inseriu 206 adolescentes e jovens nessa área de formação. A iniciativa vem dando tão certo que já viabilizou a capacitação profissional de cinco turmas de socioeducandos.

O grupo mais recente recebeu certificados na última quinta-feira (31), no auditório do Case Cabo. Foram 27 concluintes. A sexta turma do curso de Montagem e Manutenção de Computadores deve ter início neste sábado (2), com mais 40 alunos. As aulas acontecem no laboratório de informática da unidade socioeducativa. Também participaram da cerimônia de certificação outros nove socioeducandos do curso de Encadernação, totalizando 36 adolescentes e jovens beneficiados durante a solenidade. Ambas as formações foram certificadas pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). A articulação dos cursos ofertados por meio de parcerias com outras instituições é feita pelo Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase.

curso

Foto: Marcelo Vidal/SDSCJ

Na visão do secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Sileno Guedes, titular da pasta à qual a Funase é ligada, ações integradas como essa mostram o compromisso do Governo do Estado com a reinserção social de adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas. “O Governo Paulo Câmara vem investindo muito na melhoria do sistema socioeducativo, e o melhor retorno que pode existir é ver a juventude que está passando por esse atendimento abraçar as oportunidades que estão sendo oferecidas e se qualificar profissionalmente. Isso é apostar no futuro desses jovens”, avalia.

No mesmo sentido, a gerente do Case Cabo, Tatiane Moraes, destaca que a busca de gestores, técnicos, professores e agentes socioeducativos é por proporcionar oportunidades. “Apostamos forte em permitir que os socioeducandos tenham acesso à formação profissional e que possam continuar esse processo fora da unidade. Ocasiões como esta certificação mostram que as experiências estão sendo exitosas”, afirma Tatiane. “Queremos despertar neles a vontade de vencer na vida. Esses cursos mostram que eles têm muito potencial”, completa o professor do curso de Montagem e Manutenção de Computadores, Everaldo Bezerra.

Retirados quase 30 veículos abandonados em ruas de Jaboatão

Automóveis foram levados para um galpão de reciclagem onde permanecerão por um prazo de 70 dias, à espera dos donos

01/02/19 às 10:48 – Da Folha de Pernambuco 

313229,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes removeu 28 veículos abandonados em vias públicasFoto: Matheus Britto/PJG

Vinte e oito veículos abandonados em vias públicas de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foram removidos pela prefeitura durante uma operação de remoção de sucatas, realizada durante todo o mês de janeiro pela Secretaria Executiva de Mobilidade e Ordem Pública (Semop).

Os automóveis sem placas foram levados para um galpão de reciclagem, no bairro de Prazeres, também em Jaboatão, onde deverão permanecer por um prazo de 70 dias, à espera dos donos. Os carros que possuem placas foram encaminhados para um depósito localizado no bairro do Curado, para identificação e posterior notificação dos proprietários.

Segundo a Semop, além de arcar com as despesas de acionamento de guincho, que variam de R$ 139 a R$ 415,50, o dono do veículo precisa, ainda, pagar uma taxa de R$ 27,50 a R$ 120, a depender do peso bruto do automóvel, referente à diária do veículo no local onde foi levado.

A ação que contou com um efetivo de 25 servidores, entre agentes de trânsito, guardas municipais e membros da Secretaria Executiva de Serviços Urbanos e Manutenção, objetiva a segurança da população, uma vez que, segundo a prefeitura, as sucatas podem facilmente se tornar foco de proliferação do mosquito Aedes aegypti, e servir como ponto de uso de drogas e esconderijo para assaltantes.