Segunda (4) é o Dia Mundial contra o câncer. Veja cinco mitos sobre o câncer desvendados por especialistas

Celular e micro-ondas causam câncer? Oncologistas comentam dúvidas e explicam origem de boatos sobre causas da doença

31/01/19 às 17:47 – Multi Comunicação/Blog do Andros 

fevereiroDados recentes indicam que, ao longo da vida, um a cada cinco homens e uma a cada seis mulheres desenvolverão câncer, de acordo com o GLOBOCAN 2018 – estudo liderado pela International Agency for Research on Cancer, que estima a taxa de incidência da doença em diferentes regiões do mundo. Só no Brasil, considerando levantamento do Instituto Nacional do Câncer (INCA), 600 mil brasileiros deverão receber o diagnóstico da doença este ano. Diante dessa realidade, os especialistas são taxativos: a informação ainda é a ferramenta essencial para o combate e diagnóstico precoce de tumores malignos entre a população em geral.

É frequente, todavia, que graças às facilidades promovidas pela comunicação por meio da tecnologia e do uso de ferramentas de busca na internet que boatos sobre as principais causas de câncer se espalhem rapidamente e passem a ser tidas como verdades absolutas, mesmo que não contem com qualquer tipo de fundamento científico.

Do celular ao açúcar, muitos são os “vilões” apontados como grandes responsáveis pelos índices de casos da doença na atualidade. Para ajudar a esclarecer alguns desses mitos, cinco especialistas respondem às principais dúvidas que surgem nos consultórios: Continuar lendo

Audiência pública discute irregularidades em academias de Jaboatão

31/01/19 às 17:31 – Do Diario de Pernambuco 

20190131103814150330i

Crédito: Paulo Paiva/DP/D.A Press

A situação das academias de ginástica de Jaboatão dos Guararapes será alvo de uma audiência pública, no próximo dia 21, às 9h. A discussão tem como origem denúncias de irregularidades que chegaram até a promotoria de justiça no município.

O encontro ocorrerá no auditório da Sede das Promotorias de Justiça de Jaboatão dos Guararapes, localizada na Av. Guararapes, nº 3600 (próximo ao Fórum), e terá a finalidade de orientar os estabelecimentos e o público em geral sobre as exigências legais na proteção dos direitos à saúde e do consumidor.

Vereadores de Ipojuca debatem instalação de uma Central de Tratamento de Resíduos Sólidos no município

31/01/19 às 17:12 – Da assessoria para o Blog do Andros 

deoclecio

A reunião foi provocada pelo vereador Deoclécio Lira (PSB). Foto: Divulgação

Uma comitiva de vereadores ipojucanos se reuniram nesta quinta-feira (31) com o secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano do Ipojuca, Erivelto Lacerda. O encontro foi realizado na sede da Câmara de Vereadores, Centro, e teve o objetivo de discutir a viabilidade da instalação de uma Central de Tratamento de Resíduos Sólidos (CTRS) no município.

A reunião foi provocada pelo vereador Deoclécio Lira (PSB) que durante um pronunciamento no plenário da casa legislativa no último mês de dezembro, afirmou ser necessário um debate maior com o parlamento municipal e a população para se discutir a viabilidade do empreendimento que está sendo erguido nas proximidades da comunidade rural do Engenho Arimbí.

ipo

Vereadores ipojucanos se reuniram nesta quinta-feira (31) com o secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano do Ipojuca, Erivelto Lacerda. Foto: Divulgação

Na ocasião, Deoclécio solicitou o encaminhamento por parte da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano de todas as licenças concedidas pela Prefeitura, além do estudo e relatório de impacto ambiental da obra. “Sou favorável à geração de empregos que esta obra irá trazer para os ipojucanos. Mas, é preciso saber se trará prejuízos ao nosso meio ambiente”, afirmou o vereador.

Recentemente, a Prefeitura do Ipojuca embargou a obra, erguida pela Empresa de Engenharia Sanitária e Construções LTDA, devido ao empreendimento não ter a licença para construção da terraplanagem.

Mutirão da Justiça dá liberdade a 35 adolescentes da Funase

Liberação durante audiências leva em conta envolvimento de socioeducandos em atividades pedagógicas

31/01/19 às 16:51 – Da assessoria para o Blog do Andros 

ca

Case Caruaru foi uma das unidades contempladas. Imagem: Divulgação/Funase

A Justiça vem promovendo audiências concentradas para revisar processos que envolvem adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. Quatro unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) já foram contempladas. De um total de 43 socioeducandos participantes, 35 ganharam a liberdade, podendo deixar o regime de internação e voltar para a casa de seus familiares. Esse resultado reforça o êxito do trabalho da Funase, uma vez que a liberação é determinada pelos juízes responsáveis com base na percepção de que os internos estão envolvidos em atividades pedagógicas e construindo novos projetos de vida.

No Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Jaboatão dos Guararapes, oito socioeducandos foram beneficiados com a liberdade assistida, ou seja, passaram a cumprir a medida socioeducativa em meio aberto, com apresentações periódicas ao Poder Judiciário. No Case Santa Luzia, situado no Recife, todas as socioeducandas contempladas pelo mutirão também puderam deixar a unidade após a avaliação. Três receberam liberdade assistida, e outras duas tiveram a medida socioeducativa extinta.

No Case Abreu e Lima, o número foi ainda mais expressivo: 12 extinções de medida concedidas e cinco adolescentes em liberdade assistida, fazendo com que, na prática, 17 socioeducandos tenham deixado a unidade de internação. Outros três jovens foram beneficiados com reduções de prazo para a reavaliação de seus processos pela Vara Regional da Infância e Juventude. Por fim, no Case Caruaru, dos dez socioeducandos avaliados, três passaram para a semiliberdade, um teve a medida extinta e quatro deixaram a unidade e prestarão serviços comunitários. Dois tiveram a medida mantida, mas com redução do tempo de reavaliação.

A mãe do socioeducando J.W., de 18 anos, um dos liberados na audiência concentrada no Case Caruaru, ficou emocionada ao saber do resultado. “Estou sentindo alegria no meu coração por meu filho ter recebido muito apoio nesse tempo em que esteve aqui. O atendimento foi muito bom pra ele. Estou contente de saber que vou levá-lo pra casa e vou buscar um futuro melhor pra ele”, afirmou.

Ex-presidente Lula. Proibição de último adeus ao seu irmão falecido

Faleceu ontem, aos 79 anos, em São Paulo, vítima de um câncer de pulmão, Genival Inácio da Silva, irmão do ex-presidente Lula

31/01/19 às 10:48 – Por José de Siqueira Silva / Colaborador do Blog do Andros 

lu-va

Genival e Lula. Foto: Ricardo Stuckert

O preso enlutado, requereu a permissão de saída prescrita no Art. 12, INC. I, da Lei n° 7.210 de 11071984, Lei de Execução Penal. Para ir ao velório do falecido irmão, crente que seria atendido pelos imperativos de respeito à lei e a dignidade humana consagrados na CF, dentre outros os de seu Art. 5°, INCISO III E XLVII, ALÍNIA ‘E’: ‘NINGUÉM SERÁ SUBMETIDO A TORTURA NEM A TRATAMENTO DESUMANO OU DEGRADANTE’ E NÃO HAVERÁ PENAS ‘CRUÉIS’.

Lula deve ter pensado: Indeferir o meu requerimento além de cruel seria desumano, inobservância dos mandamentos legais e constitucionais. Ademais, conhecia o art. 3° e parágrafo único da lei 7210/84 que dispõe: ‘AO CONDENADO OU INTERNADO SERÃO ASSEGURADOS TODOS OS DIREITOS NÃO ATINGIDOS PELA SENTENÇA E PELA LEI’. ‘NÃO HAVERÁ QUALQUER DISTINÇÃO DE NATUREZA RACIAL, SOCIAL, RELIGIOSA OU POLÍTICA’. Poderia até pensar em ser discriminado pela cor da sua pele, sua afro-descendência, jamais esperaria que lhe fosse negado direito tão sacrossanto em razão de haver sido presidente do Brasil.

Lula nunca se foragira. Apresentou-se à prisão espontaneamente, teria ao menos esse crédito em seu favor. A efervescência da campanha eleitoral estava superada, sendo o PT derrotado nas urnas, pronunciando-se o eleitorado pela volta pacífica ao poder dos militares. Nada impediria, suponha, de cumprir o dever doloroso de despedir-se do irmão.

O requerimento justo, e legal de Lula foi indeferido pelo superintendente da PF em Curitiba, impedindo-o, por razões de segurança, que assistisse ao funeral do irmão. A procuradoria da força tarefa apressou-se em apoiar o indeferimento. Alegando até o risco à integridade física dos integrantes da escolta, como se segurança pública não fosse atividade de risco. Culminou concluindo: ‘… O CUSTODIADO NÃO É UM PRESO COMUM, E A LOGÍSTICA PARA REALIZAR SUA ESCOLTA DEPENDE DE TEMPO PRÉVIO DE PREPARAÇÃO E PLANEJAMENTO, NÃO PODENDO SER REALIZADA DE INOPINO’.

Depreende-se das conclusões do procurador que Lula requereu sem antecedência bastante para os preparativos oficiais da escolta. Lula deveria prever a morte e as exéquias do irmão com quantos dias ou meses de antecedência? Tudo porque fora presidente. As razões de segurança prevaleceram sobre as razões e princípios humanitários constantes da legislação.

Quinze minutos antes do enterro, o presidente do STF autorizou que Lula e o falecido fossem conduzidos a uma base militar onde se dariam as despedias. Tarde demais, humilhante demais. Que Deus proteja o ex-presidente de tanta ira, tanto rancor, tanta hipocrisia, tamanho desamparo.

sicaJosé de Siqueira Silva é Cel da PMPE,
mestre em Direito pela UFPE,
professor de Direito nas faculdades
IPESU e FOCCA e colaborador do Blog do Andros