Exclusivo: PCdoB Jaboatão pede expulsão do vereador Messinho

18/01/19 às 14:43 – Por Andros Silva 

messinho

Vereador Messinho. Foto: Reprodução do Facebook

O PCdoB Jaboatão não quer mais o vereador Messinho como membro. A sigla se reuniu e aprovou abertura de processo para pedir a expulsão do parlamentar do partido. A legenda alega que o mesmo cometeu infidelidade partidária no pleito de 2018 fazendo campanha para candidatos a deputado estadual e federal de outras siglas. Recentemente o parlamentar deixou a oposição, ingressando na base do prefeito Anderson Ferreira, outro fator determinante para o pedido de expulsão.

Na última sessão de 2018 na Casa Legislativa Municipal, Messinho não poupou o vereador Daniel Alves. Acusou o então colega de partido de oportunista e disse que Alves buscava todos os holofotes, o protagonismo, deixando os demais do grupo na coadjuvante. Tudo indica que as declarações deixaram a relação do parlamentar com a sigla comunista ainda mais delicada. Abaixo a íntegra do comunicado enviado para o Blog com a decisão do comitê municipal do Partido Comunista do Brasil.

Comunicado

“O comitê municipal do Partido Comunista do Brasil – PCdoB em Jaboatão dos Guararapes se reuniu e aprovou abertura de processo que pede a expulsão do vereador Messinho. A legenda alega que o mesmo cometeu infidelidade partidária no pleito de 2018 fazendo campanha para candidatos a deputado estadual e federal de outras legendas, também ressalta que o mesmo hoje pertence à base de apoio à gestão municipal, posição que contraria o decidido pelo PCdoB em reunião, o partido optou por ser oposição a gestão Anderson, o outro vereador da agremiação, Daniel Alves, lidera o grupo de parlamentares de oposição inclusive.”

PCdoB Jaboatão

Em Santo Aleixo, rua sem manutenção dificulta acesso de veículos

Mato e buracos tomaram conta da via, deixando até os pedestres com tráfego deficitário

18/01/19 às 12:45 – Por Andros Silva  

ruap

Via com buracos e pedras soltas complica circulação de veículos. Foto enviada pela moradora

Maria dos Prazeres, moradora da rua Senador Teotônio Vilela, em Santo Aleixo, Jaboatão dos Guararapes, entrou em contato com o Blog  para reclamar da grande quantidade de mato e buracos que tomaram conta da via, deixando-a quase intrafegável.

Ela conta que logo no início do passeio, pedras soltas dificultam o acesso de carros até as residências. Em outro trecho, o mato tomou quase toda a passagem, apenas um caminho estreito ficou visível, deixando também os pedestres com tráfego deficitário.

“Aqui moram pessoas idosas que necessitam deste acesso para locomoção. A ladeira assim atrapalha de subir carro para qualquer socorro. Gostaríamos do direito de transitar e chegar com o veículo tranquilo em nossas casas”, diz a moradora. A rua Senador Teotônio Vilela fica próximo ao terminal das kombis que faz a linha Beira Rio, uma das áreas mais movimentadas da comunidade.

ruag

Matagal toma conta da rua Senador Teotônio Vilela, em Santo Aleixo. Foto enviada pela moradora

Procon Jaboatão multa em R$ 7 milhões financeiras suspeitas de agiotagem

18/01/19 às 10:30 – Do site da Prefeitura 

procon

Foto: Chico Bezerra/PJG

O Procon do Jaboatão dos Guararapes remeteu à Delegacia do Consumidor, quinta-feira (17), todo o material apreendido durante buscas em estabelecimentos comerciais no bairro de Prazeres que atuavam na concessão de empréstimos pessoais e consignados por meio de pagamento via cartão de crédito. Durante a ação, realizada em dezembro do ano passado, foram encontrados livros de registro com comprovantes dos valores pagos pelos clientes, maquinetas de cartão de crédito, computadores e material de divulgação dos serviços oferecidos. As multas aplicadas pelo órgão de defesa do consumidor chegam a R$ 7 milhões.

De acordo com o delegado Victor Meira, a prática é considerada exploratória, segundo o Código de Defesa do Consumidor, e caracterizada como crime, previsto nas Leis Federais 1.521/51 e 7.492/86. O material apresentado vai ser encaminhado para o Instituto de Criminalística, para que seja analisado. “É importante que as prefeituras trabalhem em parceria conosco e estejam atentas a praticas como essas. A situação é tão grave que pode ser enquadrada como crime de agiotagem, e, até mesmo, estelionato. Com os laudos em mãos, os responsáveis pelas empresas serão convocados para um interrogatório”, explicou.

“Verificamos que essas empresas realmente estavam praticando agiotagem após a análise dos itens apreendidos. Em uma delas, encontramos cinco CNPJs e outros dois em outra. Como penalidade, cada empresa terá que arcar com uma quantia de R$ 1 milhão por inscrição jurídica, num total de R$ 7 milhões”, destacou o gerente de Atendimento do Procon Jaboatão, Rafael Arruda.