Após requalificação, Estádio Municipal Jefferson de Freitas é reaberto ao público do Jaboatão

24/12/18 às 17:47 – Do site da Prefeitura 

freitas

Foto: Chico Bezerra/PJG

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, por meio da Secretaria Executiva de Turismo, Cultura, Esportes e Lazer (Sectel), realizou, na tarde do sábado (22), a reabertura oficial ao público do Estádio Municipal Jefferson de Freitas, no bairro de Jaboatão Centro. Após anos abandonado, o equipamento foi totalmente requalificado pela atual gestão, tendo sido contemplado com intervenções estruturais e estéticas. O ato contou com a presença do secretário-executivo da Sectel, André Trajano, além de representantes de diversos segmentos do setor esportivo do município.

A reinauguração do estádio, que tem capacidade para um público de duas mil pessoas, ocorre durante o início das oitavas de final da Copa Jaboatão de Futebol. A edição deste ano do torneio contou com a participação de 60 times. Durante um mês, mais de 150 partidas foram realizadas em diversos pontos das sete regionais do município. Hoje, foi realizada, ainda, a entrega dos uniformes às equipes. A grande final da Copa Jaboatão de Futebol será realizada no próximo sábado (29), às 10h.

“Recebemos o estádio completamente sucateado, desde a parte elétrica, passando pelos vestiários sem qualquer tipo de estrutura para os atletas e até mesmo o gramado, que estava em péssimas condições. Trocamos todos os refletores, instalamos telas de proteção, reparamos todo o sistema hidráulico do equipamento, foi feita nova pintura, e, claro, o gramado, que agora, sim, está no nível dos nossos atletas”, explicou Trajano.

Linha de pipa com cerol mata motociclista em Jaboatão dos Guararapes

Acidente ocorreu na noite de domingo, no km 79 da BR-101

24/12/18 às 17:37 – Do Jornal Destak

img_797x448$2018_09_17_11_55_32_31024

Foto: Arquivo Destak

O motociclista Wambson Félix da Silva, 38 anos, morreu na noite de domingo (23), em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, após ter a garganta cortada por uma linha de pipa com cerol.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu no km 79 da BR-101, perto do Cemitério Memorial Guararapes, por volta das 18h. Silva pilotava a moto no sentido Recife, quando foi atingido. Ele morreu no local. A Delegacia de Prazeres, em Jaboatão, investigará o fato.

Em Pernambuco, uso de linha de pipa com cerol é proibido desde 2001. A Lei 11.931 prevê punição aos pais, quando o produto for utilizado por menores. O produto é feito com raspas de vidro, pó metálico e cola, e serve para cortar a linha das pipas concorrentes.

CPRH divulga informativo de balneabilidade das praias de Pernambuco

24/12/18 às 11:57 – Por Djalma Júnior / Colunista Blog do Andros

cadeias

Candeias apresenta trecho impróprio para banho. Foto: Andros Silva

O verão chegou e as cidades litorâneas já estão lotadas devido à grande procura por sol, praia e um mergulho no mar. Mas para que as férias na praia não virem uma dor de cabeça, ou até uma dor de barriga, é importante conferir a balneabilidade.

Balneabilidade é a qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário, ou seja, contato direto e prolongado com a água em situações como mergulhar, nadar, boiar etc. De acordo com a balneabilidade, as águas de determinada praia são classificadas como próprias ou impróprias para banho de mar.

O fator que influencia a balneabilidade é, basicamente, a densidade de coliformes fecais, microrganismos presentes nas fezes de animais de sangue quente e que servem como indicadores da poluição por esgoto, pois podem sinalizar a existência de outros microrganismos causadores de doenças.

Outro fator que influencia a balneabilidade são as chuvas, pois a drenagem da água da chuva em direção à praia lava as ruas carregando a sujeira presente para rios e para o mar, prejudicando a qualidade da água. É nesse período que há um aumento temporário da população litorânea, aumentando consequentemente a produção de esgoto.

Assim, o contato com água contaminada por esgotos pode expor os banhistas a uma série de microrganismos que podem causar sintomas e doenças que incluem, em geral, enjoos, vômitos, dores abdominais e infecções de ouvido, nariz e garganta, podendo se agravar para disenterias graves, cóleras, febre tifóide e hepatite A.

A CPRH divulga semanalmente um boletim que mostra a qualidade da água em pontos de 30 praias do litoral pernambucano. Avaliando as praias de Jaboatão dos Guararapes temos alguns trechos impróprios para o banho, como na Avenida Beira Mar, 606 (Hospital da Aeronáutica) e em Candeias na Avenida Bernardo Vieira de Melo com a Rua Aníbal Varejão.

djalmapDjalma Júnior é jaboatonense, morador de Cajueiro Seco há 42 anos, onde vem atuando de forma incansável por uma educação de qualidade e um meio ambiente equilibrado. É professor universitário, licenciado em Química pela UFPE e Tecnólogo em Gestão Ambiental pelo IFPE. Especialista em Gestão Ambiental pela FAFIRE, além de mestrando em Gestão Ambiental pelo IFPE.  É ambientalista defensor de várias pautas como a da economia circular, gestão dos recursos hídricos e mobilidade urbana. Aqui, entre outros assuntos, vai escrever sobre ciência, tecnologia e meio ambiente.

E-mail – djalmaufpe@gmail.com – WhatsApp: 9.8753-2857

Lago do Junco em Loreto, Descaso, Humilhação, Saúde Vulnerável

24/12/18 às 11:31 – Por Sidha Moitinho / Colunista Blog do Andros

junco6clog

Alguns moradores se juntaram para cortar o mato porque, nem isso, a prefeitura faz com regularidade. Foto: Andros Silva

Lago é uma depressão natural na superfície da Terra, onde existe ajuntamento de água permanente e variável que pode ser diretamente da chuva, de uma nascente ou do curso de um rio. Romanticamente imaginamos lagos com água azul e cristalina, as margens circundadas de flores de todas as cores, grama verdíssima até perder de vista, um vento gostoso trazendo o perfume da vegetação.  Foi com esse sentimento lírico que os moradores do Lago do Junco deram nome a rua onde moram. Não raciocinaram que no lugar de um lindo lago imaginário, a rua Lago do Junco teria um canal de esgoto sem saída, quase a transbordar o ano todo. Essa rua é só aflição, não passando de um armazém alagadiço de água imunda e um ótimo criadouro de mosquitos peçonhentos, muriçocas, baratas e ratos; onde o mato cresce desenfreadamente.

Alguns moradores se juntaram para cortar o mato porque, nem isso, a prefeitura faz com regularidade. Na época das médias e grandes chuvas, as casas são invadidas por águas fétidas, contaminadas por todo tipo de dejetos que colocam em risco a saúde, e, ainda, trazem o perigo de morte por contaminação da urina de ratos e de outras centenas de doenças graves como a filarias, conhecida como elefantíase. A casa própria que era para ser a realização de um sonho, na referida rua, não passa de dor de cabeça, amargura, prejuízos, descaso, humilhação e riscos. Recorrer à prefeitura tornou-se uma via crucies que ninguém aguenta mais percorrer, levando ano após ano a pesada cruz. Continuar lendo