Falta compromisso do prefeito de Jaboatão dos Guararapes com a agenda ambiental

15/12/18 às 16:39 – Por Djalma Júnior / Colunista Blog do Andros

saneamento2

Foto: Guga Matos/ JC Imagem

Os cidadãos ao irem às urnas nem sempre se atentam que, os prefeitos de suas cidades são responsáveis pelo desenvolvimento sustentável dos municípios. É o que estamos vendo nas cidades brasileiras, em especial Jaboatão dos Guararapes, um descaso no investimento em políticas ambientais, principalmente pelo desconhecimento da pasta pelo prefeito e seus secretários.

A falta de compromisso com o meio ambiente em Jaboatão dos Guararapes começa pela falta da inclusão de políticas ambientais nos Plano Plurianual (PPA), na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e de Orçamento Anual (LOA); sem falar na contratação de gestores, ou seja, interlocutores verdes, capacitados para a área e incluindo ações de sistema de gestão ambiental em todas as Secretarias do município. Mesmo assim a mais importante ação se dá pelo compromisso político do prefeito, coisa que não acontece na província jaboatonense.

Apesar da alegação de que não tem dinheiro, de que o município é grande e complexo, existem fatores que podem trazer sucesso à gestão. Em pesquisas realizadas, fatores como a visão estratégica dos prefeitos aliadas ao profissionalismo dos agentes ambientais, comprometidos, sem filiação político-partidária, gera maior eficiência na máquina pública, melhorando os indicadores ambientais da cidade.

Esses dados mostram a importância do prefeito nesse processo, ele é o maestro e tem a obrigação de pensar estrategicamente no meio ambiente; ser responsável pela boa ou má gestão; ele é o líder da casa e contrata sua equipe, que o auxiliará a cuidar do meio ambiente.

Um prefeito não precisa ser um intelectual, acadêmico, mas um estadista que tenha o DNA da Sustentabilidade. Jaboatão dos Guararapes não tem esse líder no momento. A diferença entre um estadista e um político é que o primeiro pensa no coletivo, coloca-se no lugar da criança que terá uma educação pública e oferece um serviço como se fosse para seu filho. Gestor que não entende que investir em saneamento é enterrar dinheiro e que ele deve ser feito para todos, sem distinção.

Não estamos dizendo que o trabalho de reduzir os impactos ambientais é fácil, é preciso acompanhamento do gestor público e antes da vontade política, investir em educação ambiental e na mudança da cultura de como lidar com o meio ambiente.
As ações propostas devem ser integradas a partir do esgoto tratado, resíduos sólidos, biodiversidade, arborização urbana, educação ambiental, cidade sustentável, gestão das águas, qualidade do ar, estrutura ambiental e conselho ambiental.

A criação de um ranking onde as cidades possam ser contempladas com verbas a partir do momento que se comprometem com as políticas públicas ambientais algo que estimula os gestores a buscarem a sustentabilidade. Infelizmente as ações ambientais em Jaboatão dos Guararapes são praticamente nulas, acontecendo de forma pontual e não integrada. Você conhece o nome do Secretário de Meio Ambiente de Jaboatão dos Guararapes? Já o viu em eventos e ações que visem a melhoria da qualidade ambiental do município? Vale a reflexão…

djalmapDjalma Júnior é jaboatonense, morador de cajueiro Seco há 42 anos, onde vem atuando de forma incansável por uma educação de qualidade e um meio ambiente equilibrado. É professor universitário, licenciado em Química pela UFPE e Tecnólogo em gestão ambiental pelo IFPE. Especialista em gestão ambiental pela FAFIRE, além de mestrando em gestão ambiental pelo IFPE.  É ambientalista defensor de várias pautas como a da economia circular, gestão dos recursos hídricos e mobilidade urbana. Aqui, entre outros assuntos, vai escrever sobre ciência, tecnologia e meio ambiente.

E-mail – djalmaufpe@gmail.com – WhatsApp: 9.8753-2857

Curto e Grosso: A VERGONHA DO ANO!

15/12/18 às 15:56 – Por Andros Silva 

Como tudo começou… 

chamadapA última sessão de 2018 na Câmara de Vereadores do Jaboatão terminou em confusão e com bastantes acusações polêmicas. Não poderia ter outro nome, as cenas lamentáveis protagonizadas pelos parlamentares, ficaram marcadas como A VERGONHA DO ANO. Marlus Costa foi acusado pelo colega de casa, Alberto Bezerra, de tentar extorquir o presidente Adeildo da Igreja. Messinho insinuou que os 27 parlamentares não teriam moral em pedir CPI para investigar o suposto superfaturamento no aluguel do Complexo Administrativo da prefeitura e Carlinhos da Carreta deu um chega pra lá no discurso cansativo do vereador Totô. Foram tantos os atos vexatórios, que vamos tentar resumir ao máximo, destacando apenas os de suma relevância da imensa confusão.


Visando o próprio Bolso…

messinhopAs declarações do vereador Messinho na tribuna da Câmara mostram como a Casa Legislativa está fragilizada e precisando urgentemente ser renovada nas próximas eleições. De acordo com o parlamentar, os vereadores da oposição, assim como os demais colegas, não teriam moral suficiente para realizar um pedido de CPI onde investigaria o prefeito Anderson Ferreira por sobrepreço no aluguel do Complexo Administrativo, instalado no bairro de Jardim Jordão, de acordo com ele, todos estariam legislando em causa própria. Além disso, o vereador foi categórico em dizer que se investigasse a própria Câmara, “não ficaria um vereador inocente”, dá para acreditar? Chamou todos de corruptos, ou entendi errado?


O pedido de desculpas… 

Por mais que tenha pedido desculpas depois das polêmicas declarações,  Messinho não conseguirá apagar tão cedo de sua jovem história política, as palavras ditas na última quarta-feira (14), o pedido de desculpas veio, mas a marca negativa que tatuou em todos vereadores, ficou indelével. O eleitorado jaboatonense não pode esquecer o que foi dito, acusações como essas, sempre tem fundo de verdade, 2020 tá logo aí, fiquem espertos.


Quase vias de fato… 

marlusO vereador Marlus Costa, sério como nunca visto antes, quase tomou um tapa do vereador Alberto Bezerra, que precisa imediatamente explicar tamanho despreparo durante a sessão cujo os principais temas foram a discussão da CPI e a prestação de contas da Câmara. Ao tentar se defender das acusações de Adeildo, de pedir privilégios para si, Bezerra, como um bravo cão de guarda defendendo seu dono, arrancou o microfone da tribuna, deixando Marlus com o direito de expressão suprimido. Até agora, não entendi, e tenho certeza, ninguém entendeu a atitude e dedicação inaceitável do edil evangélico em boicotar a fala do ex-líder do governo.


Postura plausível… 

Sereno, Marlus Costa foi de uma postura inquestionável, firme em suas colocações, aproveitou a última oportunidade para externar diante de todos sua insatisfação com Adeildo. “Não vou aceitar ditadura nesta casa”, falou para o presidente que tem fama de comandar a Câmara com mãos de ferro e sempre apresentar postura ditatorial. Lembrar de não esquecer… Queremos também saber os motivos da falta de segurança na Câmara presidente, o Blog do Andros já entrou em contato com a assessoria, que nada respondeu, seguindo inerte como móvel inofensivo.


Carlinhos da Carreta deu um chega pra lá em Totô…

carCitado também por Totô, o vereador Carlinhos da Carreta foi  um dos mais sensatos ao subir à tribuna da Câmara. Até simpatizo com a garra de Totô em lutar por seus ideais, e claro, também falou algumas coisas importantes, afinal, sou um dos favoráveis e entusiasta de uma CPI, mas Sandro Andrade precisa cair na real, ninguém aguenta mais, acho que nem os assessores do próprio Totô, as suas palavras repetidas, “covarde”, traidores do povo”, entre outras lorotas, muda o disco vereador, pelo amor de Deus. Carlinhos deu um chega pra lá daqueles, merecido: “Respeite o direito de cada um, você não ver nenhum vereador da base criticando vocês da oposição”, disse. Sandro Andrade precisa repensar o mais do mesmo já apresentado, caso contrário, não ficará entre os mais votados nas próximas eleições.


Daniel Alves ficou com o título de oportunista… 

alvesCom a língua mais afiada que espada de samurai, ainda ele, Messinho, não poupou o vereador Daniel Alves. Bateu por duas vezes no líder da oposição, “Daniel Alves não é inocente como vocês pensam”, revelando para todos os anseios de Alves em levar os créditos de uma obra finalizada por ele, e iniciada com recursos da Compesa em seu reduto eleitoral. Em seguida, alertou os oposicionistas para o destaque que Daniel vem ganhando sozinho na mídia. Messinho disse que Alves quer todos os holofotes, o protagonismo, deixando os demais do grupo na coadjuvante. Eita!

Fotos: Reprodução!