Retrocesso: Brasil não sediará a COP 25 em 2019

29/11/18 às 09:30 – Por Djalma Júnior / Colunista Blog do Andros

COP25

Divulgação

O Brasil não vai mais sediar a COP 25 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas) em novembro de 2019. O governo brasileiro comunicou a decisão de desistir da candidatura através de comunicado enviado à secretária-executiva da Convenção, a embaixadora Patrícia Espinosa. Foram alegados dois motivos para a decisão: restrições orçamentárias e a transição do novo governo eleito, que herdaria o compromisso.

Seria um grande avanço para o país sediar uma Conferência das Partes da Convenção do Clima, sendo uma grande oportunidade do Brasil reafirmar ser um país de liderança nas políticas de sustentabilidade, em especial em mudanças climáticas, mostrando que a sociedade brasileira entende a urgência da discussão de temas como esse e ações efetivas no combate aos fatores que interferem no clima.

A mudança de governo, traz grandes incertezas quanto à política ambiental. Primeiro porque parece que o presidente eleito não está muito preocupado com o meio ambiente, pois nem ministro anunciou ainda. Segundo porque já em campanha defendeu que o Brasil saísse do acordo.

Com a escolha do novo ministro de relações exteriores, o diplomata Ernesto Araújo que não acredita no aquecimento global, dizendo que é uma “tática global servindo para justificar o aumento regulador do estado”, essa decisão ganha força no novo governo. Não há nenhuma consistência científica que embase essa teoria.

A decisão já foi questionada pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE). O senador Jorge Viana (PT-AC) reiterou que a proposta orçamentária de 2019 já prevê a destinação das verbas correspondentes à organização do evento, com a maior parte dos recursos advindo de dinheiro já existente no Fundo Clima, gerido pelo BNDES.
Para ele, realizar a COP-25 pode até ser economicamente vantajoso, pois durante duas semanas o país é visitado por milhares de participantes, grupos sociais e jornalistas interessados em cobrir o evento.

Para o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) também avalia que o Brasil está “virando as costas para o mundo”, e credita parte da decisão ao futuro governo Bolsonaro, pois há em seu discurso um desprezo pelas questões ambientais e uma aliança radical com o presidente dos Estados Unidos Donald Trump que tem o mesmo pensamento. Dessa forma, perderemos o protagonismo numa das poucas áreas que temos que é a ambiental.

djalmapDjalma Júnior é jaboatonense, morador de Cajueiro Seco há 42 anos, onde vem atuando de forma incansável por uma educação de qualidade e um meio ambiente equilibrado. É professor universitário, licenciado em Química pela UFPE e Tecnólogo em Gestão Ambiental pelo IFPE. Especialista em Gestão Ambiental pela FAFIRE, além de mestrando em Gestão Ambiental pelo IFPE.  É ambientalista defensor de várias pautas como a da economia circular, gestão dos recursos hídricos e mobilidade urbana. Aqui, entre outros assuntos, vai escrever sobre ciência, tecnologia e meio ambiente.

E-mail – djalmaufpe@gmail.com – WhatsApp: 9.8753-2857

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s