Maria Vai Com As Outras??

07/11/18 às 12:15 – atualizado em 14/11/18 às 23:22
Por Sidha Moitinho / Colunista Blog do Andros 

perder-cliente-300x169

“Com olhos fixos no retrovisor das lembranças e das experiências, percebi que os acontecimentos da vida nos ajudam a compreender alguns tipos de pessoas, e que não precisa ser pela psicologia ou religião”. Imagem reprodução da internet

Que tal ir com Google? O que vamos compartilhar surgiu da troca de mensagens com um amigo, que me garantiu não está puxando o saco: “… O fato de você não ser uma Maria vai com as outras é muito importante. Conheço poucas pessoas como você.” Toda historia tem um pano de fundo, a ideia por trás deste escrito é entender com mais clareza tal expressão. Intento refletir um pouquinho fora da caixa do que o que todo mundo entende ser o significado dela.

Esta expressão nos arremete logo de cara para as pessoas entendidas como fracas, sem opinião própria, com problema de baixa autoestima, talvez?(…) que faz o que os outros mandam? Quando Alexandre me disse com tanta naturalidade que eu não sou uma Maria vai com as outras, me sentir incentivada a continuar autêntica lutando por coisas que entendo terem valores imutáveis como, por exemplo, a minha fé em Cristo, minha visão politica, amar ao próximo apesar dê (…).

Depois pensei no modo automático: “Poxa vida, alguém me entende!” O fato dele ser um cara muito inteligente, ter argumentos fortes e protuberantes, e defender suas ideias com maestria intelectual me levou a um dialogo com a tal famosa e antiga declaração popular – Maria vai com as outras. Olhei no espelho da vida que alcança cenas do passado, sublinham as coisas presentes, nos dar vez por outra reflexos de algumas coisas para o futuro… Com olhos fixos no retrovisor das lembranças e das experiências, percebi que os acontecimentos da vida nos ajudam a compreender alguns tipos de pessoas, e que não precisa ser  pela psicologia ou coisa parecida, mas pode ser também através de nosso próprios experimentos e lições aprendidas, por simplesmente sermos gente cercado por gente.

Maria vai com as outras foi se revelando a mim por outros modos à medida que descortinava passagens da vida cotidiana. Confesso que não parei para pensar em como se sente uma pessoa comparada à negativa de Maria vai com as outras, enquanto um ser que detém o poder para fazer as próprias escolhas, alcançar seus propósitos com liberdade moral e ética, e não o faz. Apenas entendo que ela é como um parasita fazendo peso sob as costas de outras pessoas. Nunca me perguntei como surgiu este ditado popular antes dele me chamar à atenção, muitas vezes o disse por dizer.

walking-groups

“Penso que todo ser humano normal alguma vez diante da encruzilhada da indecisão, embarcou de carona na escolha de outras pessoas”. Imagem da internet

Quem será a Maria inspiradora e quem seriam as outras que a dirigiam?  Não me lembro de professores de história falando sobre esta expressão. Mas a gente tem o Google para ir com ele investigar o que quisermos. As respostas nele contidas são sempre satisfatórias. Acredito que uma porcentagem muito pequena esteja fora das normas da credibilidade e da verdade.  Às vezes abaixamos a guarda nos deixando levar pela opinião dos outros. De repente nos vemos fazendo algo que não queríamos só para agradar alguém do nosso carinho. Deixo de fora crimes, calunias, difamação, traições, toda e qualquer coisa vil.

Já fomos constrangidos a nos calar, a retroceder, também omissos para  não botar mais lenha na fogueira ou a não comprometer. Penso que todo ser humano normal alguma vez diante da encruzilhada da indecisão, embarcou  de carona na escolha de outras pessoas. Mas isso não faz de todos nós automaticamente uma Maria vai com as outras.
A vida é feita de sim e de não. Nem sempre o sim é o mais conveniente a assumir e o não, pode a coisa certa a decidir, e nem por isso soará  negativo, ou dirá que somos pessoas influenciáveis, sem personalidade. A vida é feita também de pontos contraditórios. O Sim e o Não devem ser avaliados de acordo com o contexto, é bom deixar a emoção fora disso. A voz do povo não é a voz de Deus, mas a voz de Deus deve ser soberana sobre nós. Todas as vezes que o povo israelita fez sua voz ecoar mais alta do que a voz do Senhor Deus, eles O afrontaram.

A voz da multidão gritava para libertar a um criminoso e para matar a Jesus. Em nosso país, 45 milhões de vozes ainda ecoam contra a justiça e a favor da perversidade esquerdista. Eles não são exatamente, Maria vai com as outras, são pessoas defendendo um ponto de vista empedernecido em seus corações. Maria vai com as outras até poderia ser letra de musica infantil, porém seu significado nos deixa perceber o quanto é patético a inercia e a passividade diante de coisas que se deve tomar atitude, e não o fazemos seja por medo, vergonha, falta de responsabilidade, senso crítico… Na vida não podemos apenas nos deixar levar-, Chega pra lá Zeca pagodinho!

hipocrisia

Foto: Reprodução da Internet

Precisamos nos comprometer, ousar, ir adiante, ter posicionamento claro para o lado correto das coisas. Coragem não pode nos faltar diante dos desafios, vez por outra temos que dar a nossa cara a tapa… Minha mãe era uma mulher incrível, nunca ficou em cima do muro, jamais fora uma  Maria vai com as outras, o legado por ela deixado através do seu ensino do que deve ser um comportamento adequado, sem duvida alguma me tornou uma mulher comprometida com a verdade e com o amor, ainda que imperfeitamente eu saiba amar.  O amor a Deus e ao próximo é o instrumento perfeito para fazermos bem inclusive a nos mesmos.  A verdade dói porque somos orgulhosos e não queremos ser contrariados, e mesmo sabendo que a verdade é libertadora, muitos decidem viver na escuridão pecaminosa  da mentira e do engano.

A pessoa Maria vai com as outras não tem personalidade clara, conheci um homem que viveu conosco 16 anos, ele é do tipo que se inclina para onde o vento soprar. Não poucas vezes o meigo velhinho, arrastando sua perninha deficiente, e com sua memória invejável, estava defendendo algo veementemente, mas se chagasse alguém com um pensamento desigual, ele logo balançava a cabeça consentido mudança de ideia, seu opositor ganhava um aliado sem muito esforço, e se ainda  uma terceira, quarta  pessoa… entrasse na roda,  ele novamente cedia, fingindo concordância com todo mundo, não contrariava a ninguém.

intervencao_teatral_viajantes

“A Maria vai com as outras poder ser manipuladora passando  a ideia de que não tem  argumentos, forças para superar sua natureza indecisa, confusa, quando na verdade é quem está no controle”. Foto: Divulgação

Um dia sua mascara caiu. O “Maria vai com as outras” nos surpreendeu passando a pena em toda minha família.  Entendemos que Maria vai com as outras também pode ser uma pessoa falsa, irônica, dissimulada, manipuladora, que visa seus próprios interesses e que se cala ou não age dentro do que esperamos, detendo seu ponto de vista para tão somente se proteger, assim ela (e)  passa despercebida (o) pondo  em ação seus planos secretos.  Este tipo de Maria vai com as outras, finge estar sendo conduzida,  prevenindo-se contra o risco  da sua máscara cair antes do planejado.

Um ser Maria vai com as outras pode ser analisado por vários ângulos, além do pensamento construído pelo senso comum, que diz tratar de alguém sem personalidade, que não tem força para demonstrar sua opinião e vontade própria por ter dificuldade em tomar decisões.  O tipo  Maria vai com as outras pode se deixar convencer com muita facilidade pelos outros por ser mais cômodo para ela comer o que já vem mastigado. Isto é nojento!  Mas é assim que funciona. Nunca subestime uma Maria vai com as outras. A turma da Maria vai com as outras  não se constitui apenas por vitimas da fraca personalidade, que se deixam levar por pessoas mais fortes do que elas.

A Maria vai com as outras poder ser manipuladora passando  a ideia de que não tem  argumentos, forças para superar sua natureza indecisa, confusa, quando na verdade é quem está no controle. Quando as coisas dão erradas, a Maria vai com as outras nunca será culpada, a culpa é de quem ela seguiu, claro! Por outro lado, se tudo der certo, lucrará 100% na carona que pegou com os outros que decidiram acreditar no que acreditam ou simplesmente fazer o que queriam. Nem sempre alguém que segue as outras pessoas está seguindo para cair num precipício de forma inconsciente, inocente, como a coitadinha da vez, ela esta decidindo através de fatos ou de circunstâncias  que estão girando a seu favor, se não, ela cai fora.  Ser Maria vai com as outras pode ser conveniente para muita gente.

Alguém que caiu ladeira abaixo, sob uma liderança que ela escolheu seguir, sem duvida é responsável pelas consequências,  consentiu com a caminhada, e pagou para ver o que aconteceria, a menos que seja  vitima de um sequestro ou de um regime escravo. Ao contrario da inspiradora desta expressão que perdeu sua capacidade mental, a Maria vai com as outras está indo para onde quer  ir, apenas se deixando guiar por alguém que  na pior das hipóteses, está disposto a ser o testa de ferro. Escolher não ter escolha para seguir a outros, é também uma escolha. Não tem jeito de fugirmos das escolhas, sejam elas para o bem ou para mau. Fomos criados por Deus com a capacidade e o poder de decidir qualquer coisa neste mundo. Dá uma reparadinha ao seu redor, para dentro de você também e pense: “Seria só os outros as Marias vai com as outras, ou serei eu também uma Maria vai com as outras?

Não ser  Maria vai com as outras poderá depender  de sabermos  ouvir o que os outros tem a dizer  ao respeito, aceitar as criticas e trabalhar para mudar os pontos fracos e melhorar os fortes da nossa personalidade e até do caráter. Aceitar bons conselhos e rejeitar os maus, mudar de ideia quando entendermos que nosso ponto de vista está equivocado, nos arrepender de coisas erradas  que fizemos e não fazer mais, pedir perdão para quem magoamos e a Deus. Não exigir estar certo a todo custo. Obedecer a Palavra de Deus, vigiar para não sermos dominados por nossos  instintos, buscar  cura e  libertação de vícios. Invocar o nome de Jesus na horas de decisões importantes, e também quando orarmos, seja em nome de Jesus,( não importa a sua religião).  Não precisamos ser um gênio para  andarmos seguros e  na direção certa da luz divina do amor de Deus, basta sermos humildes e não alimentar o pecado em nosso coração.  Gostaria de finalizar  com  nosso bate bola, ouvindo a  inspiradora dessa expressão tão interessante, Maria vai Com as outras.

d-mara-ii_-_a_pia-png

Dona Maria I, rainha de Portugal. Imagem Museu Histórico Nacional, 1808.

Maria I, rainha de Portugal:  Sei apenas que a vida nos surpreende com duros golpes, que nos tira a razão e nos faz perder os sentidos. Na maioria das vezes conseguimos superar traumas, perdas, solidão, frustações…  porém algumas pessoas podem  ficar detidas em um mundo a parte do real. Posso dizer sem medo de errar que apesar de tudo, foi o amor de Deus que me susteve durante aqueles períodos enlouquecidos de minha vida.

Eu a rainha Maria I de Portugal, mãe de 6 filhos, produtiva, com minha vida privada exemplar,  fiz  “O comércio e a indústria prosperaram, a balança comercial exibiu o seu primeiro saldo positivo desde havia décadas, o tesouro conheceu alguns anos de relativo desafogo, as letras, as artes e até a ciência floresceram” (MARQUES, 1984, p. 249). https://rainhastragicas.com/2016/08/26/a-loucura-de-dona-maria-i-de-portugal/.

Entretanto a vida não é mole nem mesmo para reis e rainha não superei as perdas do meu marido o rei D. Pedro III e logo a seguir a do meu filho D José que seria o herdeiro do trono. A medicina era precária até mesmo para uma rainha, os procedimentos em lugar de ajudar traziam mais debilitações junto  meu estado caótico de depressão, insanidade e outros males físicos. Os assuntos externos como a queda do absolutismo na França agravaram meu estado de saúde.  Não tendo mais saída, meu Filho D João assumiu a regência do trono, vindo a ser o rei D João III.

A rainha que conduzia passou a ser conduzida, nada mais era licito fazer sozinha. Quando menos dei conta estava sendo dirigida por minhas damas de companhia durante meus passeios. E lá estava eu, sendo observada, e descrita como a Maria que vai com as outras. Ninguém se lembrava da rainha Maria I de Portugal como uma mulher forte, de personalidade diplomática, que fizera grandes avanços comerciais  para meu país, ou como uma mulher temente a Deus, a primeira monarca europeia ir à América.

Descrevem-me também como a “Louca” e quando querem confrontar as pessoas sem personalidade ou mesmo de caráter problemático, usam a dor da minha alma e a minha falência mental para descrevê-las. O que dizer diante desta injustiça? Talvez seja melhor sorrir e aconselhar: Não seja uma Maria vai com as outras, tenha opinião própria e faça da sua vida uma existência plena para amar a Deus, a si mesmo e ao seu próximo.

margaridas-brancas-wallpaper-1024x640

Foto: Reprodução da Internet

BONS CONSELHOS em Provérbios 15:1-7,9-18, 21-26, 28-33…

As palavras dos sábios espalham conhecimento; mas o coração dos tolos não é assim.
O Senhor detesta o caminho dos ímpios, mas ama quem busca a justiça.
Há uma severa lição para quem abandona o seu caminho; quem despreza a repreensão morrerá. A Sepultura e a Destruição estão abertas diante do Senhor; quanto mais os corações dos homens!

O zombador não gosta de quem o corrige, nem procura a ajuda do sábio.
A alegria do coração transparece no rosto, mas o coração angustiado oprime o espírito.
O coração que sabe discernir busca o conhecimento, mas a boca dos tolos alimenta-se de insensatez. Todos os dias do oprimido são infelizes, mas o coração bem disposto está sempre em festa.

É melhor ter pouco com o temor do Senhor do que grande riqueza com inquietação.
É melhor ter verduras na refeição onde há amor do que um boi gordo acompanhado de ódio. O homem irritável provoca dissensão, mas quem é paciente acalma a discussão.
A insensatez alegra quem não tem bom senso, mas o homem de entendimento procede com retidão.

Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem sucedidos quando há muitos conselheiros. Dar resposta apropriada é motivo de alegria; e como é bom um conselho na hora certa! O caminho da vida conduz para cima quem é sensato, para que ele não desça à sepultura. O Senhor derruba a casa do orgulhoso, mas mantém intactos os limites da propriedade da viúva.

O Senhor detesta os pensamentos dos maus, mas se agrada de palavras sem maldade.
O justo pensa bem antes de responder, mas a boca dos ímpios jorra o mal.
O Senhor está longe dos ímpios, mas ouve a oração dos justos. Um olhar animador dá alegria ao coração, e as boas notícias revigoram os ossos.

Quem ouve a repreensão construtiva terá lugar permanente entre os sábios.
Quem recusa a disciplina faz pouco caso de si mesmo, mas quem ouve a repreensão obtém entendimento. O temor do Senhor ensina a sabedoria, e a humildade antecede a honra.

siSidha Moitinho é uma baiana que cresceu em Brasília, apaixonada por Pernambuco, mora em Jaboatão dos Guararapes há mais de 18 anos, cidade que ama e pela qual luta. É comunicadora social, bacharel em teologia, pastora, cineasta, coordenadora literária e escritora. Sidha ama escrever para crianças, atualmente vem promovendo seu conto infantil ‘Paulinho e o Vento’.

Contato: sidha.moitinho@gmail.com

Um comentário em “Maria Vai Com As Outras??

  1. Sandra Helena Queiroz Da Silva disse:

    Parabéns amiga!
    Bem esclarecedor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s