Irmão Lázaro, quanto vale o show?

Ex-Olodum canta nesta quinta-feira (16) em Jaboatão Centro e no sábado (18) em Prazeres por ocasião do Projeto Libertador, promovido há anos pelo clã Ferreira

15/08/18 às 23:09 – Por Andros Silva

Irmão-Lázaro

Irmão Lázaro. Foto: Divulgação

Quem ainda pensa que a música Gospel não é um bom negócio, está redondamente enganado. Não é à toa que artistas seculares, quando caem no ostracismo, em sua maioria, enveredam pela música cantada nos cultos evangélicos. A exemplo de Lázaro, oriundo dos guetos de Salvador, esquecido pela mídia tradicional, tornou-se cantor evangélico, e hoje vive muito bem, obrigado. Mas antes de falar quanto vale o show do artista, vou contar os dois cachês mais altos do mundo Gospel.

Aline Barros, uma das cantoras mais respeitadas do seguimento, custa, segundo a lista atualizada e disponibilizada pelo site Jovens Cristãos, R$ 95.000,00 (noventa e cinco mil) para o contratante por cada apresentação de no máximo uma hora. O grupo Diante do Trono fica um pouquinho mais salgado, de acordo com a mesma lista divulgada, com cem mil (R$ 100.000,00) a banda sobe ao palco para realizar o que eles chamam de “ministração”.

Voltando ao irmão Lázaro, o ex-Olodom, que se apresenta nesta quinta-feira (16), em Jaboatão Centro e no sábado (18) em prazeres durante o Projeto Libertador, evento promovido há anos pelo clã Ferreira, cobra a bagatela de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).

Sobre cachês altíssimos cobrados por artistas Gospel, o cantor baiano tocou no assunto em entrevista ao site O Fuxico Gospel. A entrevista foi em 2015, mas acredito que ainda mantenha a mesma opinião.

Lázaro disse ao portal na época que “a mídia evangélica, às vezes, é injusta com os cantores evangélicos, pois os melhores cachês que os cantores evangélicos ganham são pagos pelas Prefeituras em eventos onde são pagos cachês triplicados, comparados aos nossos, para bandas seculares”.

Ele acreditava que os evangélicos deveria “estar comemorando o avanço ao invés de estar criticando”. Mas, também concorda que “não há nenhuma lógica em cobrar valores tão altos para cantar nas igrejas”. Também acho!

Veja a lista completa dos valores cobrados pelos cantores gospel Continuar lendo

Fala Leitor: Leitora procurou o Blog para reclamar de barulho ensurdecedor promovido por bar em Santo Aleixo

Entramos em contato com o proprietário do estabelecimento, que respeitosamente respondeu ao Blog

15/08/18 às 16:32 – Por Andros Silva

bar

Faixada do estabelecimento. Foto enviada por Sueli Santos

A leitora Sueli Santos, moradora do bairro de Santo Aleixo, Jaboatão, entrou em contato com o Blog para relatar que há muito, o proprietário de um bar localizado em sua rua, não respeita a lei do silêncio (Lei Distrital 4092 de 2008), ficando a perturbar o sossego alheio, fazendo barulho acima dos limites estabelecidos até altas horas da madrugada, incomodando todos os residentes nas proximidades, inclusive idosos e crianças.

Sueli contou ainda que já falou com o dono do estabelecimento sobre o ruído ensurdecedor, no entanto ele justifica o volume alto porque uma igreja e uma academia próximas, também fazem muito barulho ao executar suas atividades, o que para ela não faz sentido, pois segundo a reclamante os dois comércios citados encerram os trabalhos bem cedo, diferente do boteco, finalizando a farra sempre “às duas, ou cinco horas da manhã”.

Como as tendas que servem de abrigo para os frequentadores da taverna tomam boa parte da calçada, espaço público, ela tentou contato com a Prefeitura do Jaboatão em busca de possíveis providências, mas não obteve êxito. “Os 0800 da prefeitura, bem como enviar denúncias pelo site/ouvidoria não funcionam. A gente não consegue ser atendido, ou sequer ter respostas”, relatou.

Outra alternativa buscada foi o 190 da Polícia Militar, “não só eu, como outros moradores ligamos para o 190 e nada acontece. Colecionamos protocolos… Uma única vez que a Polícia veio, mas parecia estar dando suporte, pois ficou até o show de pagode terminar”, disse indignada.

“Aqui (na rua), não conseguimos descansar, nem assistir nada, sequer ficar no jardim. Moramos aqui há mais de 30 anos e estamos realmente sem sossego. Agradeço qualquer ajuda que puder nos dar. Pode vir e conversar com a vizinhança, e ver de perto o que passamos”, finalizou.

Respostas:

Respeitando o direito de respostas, o Blog entrou em contato com Amilton Soares, responsável pelo “Caldinho do Amilton”, ativo desde junho deste ano. O mesmo é cabeleireiro e conhecidíssimo no bairro de Santo Aleixo, por no passado comandar uma das mais famosas quadrilhas juninas de Jaboatão. Amilton, respeitosamente, nos respondeu o seguinte…

“Senhor Andros, fico grato por você entrar em contato e me dá a oportunidade de falar dessa denúncia. Sempre fui a favor do respeito, da moral e da integridade social. Várias vezes tive visita da própria Polícia, que me afirmou com veemência que meu som não é alto. Meu som é ambiente e das vezes que reclamaram, fui compreensivo. Eu fecho meu estabelecimento a meia noite. Essa denúncia (de ir até às cinco da manhã) não procede”.

Em tempo… Esperamos que após a veiculação desta matéria, as partes entrem em definitivo num acordo. Que o senhor Amilton dê continuidade a seu trabalho, lucrando e crescendo, mas sempre respeitando, como diz fazer, o direito alheio, agradando assim a vizinha Sueli e todos ao seu redor.

Prefeitura: “atendimento não funciona”

Em relação a denúncia que “os 0800 da prefeitura, bem como enviar denúncias pelo site/ouvidoria não funcionam”, o Blog vai em busca de respostas junto a assessoria de imprensa do órgão.

Polícia Militar

Acredito que em relação a Polícia Militar, o próprio Amilton já esclareceu, quando recebeu em seu estabelecimento, visitas de viaturas da corporação. Porém, se a leitora reclamante não dê por satisfeita, iremos, ao seu pedido, entrar em contato também com a assessoria de imprensa da Polícia, responsável pela área.

Blog do Andros, contato:

Whatsapp 98730-2423
E-mail: blogdoandros@gmail.com

Advogado e ex-secretário de Cultura do Jaboatão será candidato a deputado estadual

15/08/18 às 12:29 – Por Andros Silva 

isaac

Isaac Luna. Foto: Divulgação

Se apresentando como a opção “democrática para a Assembleia Legislativa de Pernambuco”, o advogado e ex-secretário de Cultura de Jaboatão no governo Elias Gomes, Isaac Luna, divulgou há pouco em sua página no Facebook que será candidato a deputado estadual.

Em nota de divulgação, Isaac disse que “foi provocado por amigos, colegas professores, alunos, companheiros da cultura e da advocacia”.  “Seria mais fácil tocar a vida cuidando de meus pequenos na companhia da minha linda esposa, mas o senso de responsabilidade social fervilhou nas veias e, acreditando puder contribuir para a construção de uma nova política, decidi não me abster”, enfatizou.

No texto o cientista político e professor do Centro Universitário Guararapes não fez alusão ao PCdoB, partido por qual vai concorrer a uma vaga na Alepe. Veja abaixo íntegra do comunicado.

PODEMOS CAMINHAR JUNTOS?

“Provocado por amigos, colegas professores, alunos, companheiros da cultura e da advocacia, decidi não me abster. Seria mais fácil tocar a vida cuidando de meus pequenos na companhia da minha linda esposa, mas o senso de responsabilidade social fervilhou nas veias e, acreditando puder contribuir para a construção de uma nova política, resolvi encarar a missão de me colocar como uma opção democrática para a Assembleia Legislativa de Pernambuco, na condição de candidato e Deputado Estadual.

Não tenho dinheiro ou cargos para distribuir, mas tenho uma história, um currículo construído pelo estudo e pelo trabalho, uma ficha limpa e o forte desejo de, na condição de professor, advogado e pai de 4 filhos, combater o bom combate para a construção de um Pernambuco melhor.

Se o seu sentimento é de indignação e o seu propósito é o de renovação e mudança efetiva na política, provavelmente temos muitos sonhos e ideias em comum, temos muito mais motivos que nos unem do que alguns que eventualmente nos separe.

Tenho uma vida dedicada ao estudo da violência e da segurança pública, a formação da juventude e a cultura, três eixos que se interligam em complementariedade.
Se você pensa que precisamos de legisladores com compromisso e capacitação técnica para atuar por mais segurança, mais educação e mais cultura, então vamos a luta, conto você”!

Isaac Luna, candidato a deputado estadual

Lei de proteção de dados aprovada

15/08/18 às 10:48 – Por Rodrigo Lima, do Blog do Andros

dados

Imagem/Reprodução

Foi aprovada na última terça-feira (14), pelo presidente Michel Temer, a PLC 53/2018. A lei visa proteger dados de pessoa física. Com a medida, as empresas que processam dados no Brasil, terão 18 meses para se adaptar as novas regras.

Mas afinal, o que vai mudar? A mudança vai exigir que as empresas tenham mais responsabilidade com as informações de seus usuários, de forma que para fazer alguma alteração dos dados, precise consultar o cliente, realizando alterações apenas com o consentimento do mesmo, além de garantir a segurança das informações em seu banco, evitando vazamentos que possam dá origem a crimes cibernéticos, como vem acontecendo nos últimos anos.

Sabe aquelas ligações que recebemos do nada de alguma empresa oferecendo algum serviço, já convidando para confirmar dados que você nem sabe como eles conseguiram? Com a nova lei, tal comportamento tende a acabar, assim espero!

Mais detalhes? Assista o vídeo disponibilizado pelo site Olhar Digital…

Fotos: Veja por onde entraram os invasores do gabinete do vereador Ênio Batista, atacado na última terça-feira (14)

15/08/18 às 10:32 – Por Andros Silva

O Blog teve acesso a janela por onde adentraram os meliantes que invadiram na última terça-feira (14), o gabinete do vereador Carlos Eugênio Batista da Silva, o Ênio Batista (PRP). Na investida criminosa, o edil perdeu dois Notebooks da marca Positivo, além de um roteador. O Blog agradece a atenção da assessoria do parlamentar, que enviou as fotos com exclusividade para nossa página.

janela

Invasores tiveram acesso as dependências do gabinete pela janela. Foto: Cortesia

 

porta

Porta do gabinete não foi quebrada pelos marginais. Foto: Cortesia

 

gabinete

Faixada do gabinete do vereador Ênio Batista, que foi invadido na madrugada da terça-feira (14). Foto: Cortesia

Anderson Ferreira será investigado pelo menistério público por suspeita de superfaturamento em aluguel do complexo administrativo

15/08/18 às 09:38 – Da Assessoria do G12 / Enviado para o Blog do Andros 

divu

Vereadores da oposição entraram com novo pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito. Foto: Divulgação

Com o intuito de investigar a contratação, sem licitação, do Centro Administrativo da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, o vereador e líder da bancada de oposição Daniel Alves, juntamente com os vereadores Vilmar da mudança, Tadeu, Robson do peixe, Dodô da chave, Ênio, Bira do Pop, Messinho, Márcio do Curado, Carlinhos da Carreta, Didinho e Toto entraram com um novo pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Um suspeito superfaturamento no preço do aluguel do imóvel passou a ser investigado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O contrato de aluguel foi firmado entre a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes e a empresa Meireles LTDA.

As denúncias dos altos valores do aluguel do imóvel foram realizadas pelo vereador Daniel Alves, no dia 23 de agosto do ano passado. Relatório preliminar do Tribunal de Contas do Estado (TCE) cita prejuízo de 7 milhões de reais ao cofre do município, em um contrato no montante de R$ 20 milhões, por 48 meses de aluguel.

Os auditores do TCE querem a demonstração de economicidade na locação, tendo apontado possível “sobrepreço” no contrato. Segundo o relatório de auditoria, na folha 21, a “contratação com o valor de aluguel baseado em laudo com flagrantes irregularidades caracterizará dano ao erário”.

Na sua manifestação, o TCE diz que “a locação acima dos preços de mercado, pode gerar responsabilidade pessoal pelo ressarcimento” do prefeito. No MPPE, a promotora Ana Luiza Pereira abriu um procedimento para investigar a matéria (Autos 2017/2729991).

A promotora solicitou um laudo independente, por técnicos do próprio MPPE, para atestar o sobrepreço do aluguel. O MPPE já recebeu o compartilhamento dos documentos do TCE sobre o tema, incluindo o relatório preliminar de auditoria, que aponta um suposto prejuízo de 7 milhões de reais.