Integrantes da Liga Desportiva de Jaboatão denunciam perseguição política

Robson Lourenço, diretor de esportes e Eduardo Anderson, presidente da Liga Desportiva de Jaboatão, denunciam que um vereador passou a persegui-los após fim de parceria

26/03/18 às 06:32 – Por Andros Silva

DSCF7695p
Robson Lourenço e Eduardo Anderson  /  Foto: Andros Silva

O atual presidente da Liga Desportiva de Jaboatão, Eduardo Anderson, junto ao diretor de esportes, Robson Lourenço, denunciam uma suposta perseguição política feita pelo vereador de Jaboatão, Charles Darks Rodrigues de Aguiar, o Charles Motorista (PR). Ao Blog os desportistas contaram que o encalço começou quando a Liga decidiu encerrar a parceria que existia, há pouco mais de um ano, com o vereador. “Charles Motorista chegou em nossa instituição prometendo apoio para viabilizar emendas, audiências públicas (com foco na valoração do Esporte da cidade) e também oferecendo prêmios para futuras competições. Como a prefeitura nunca investiu, resolvemos apoiar a campanha de Charles em nossas páginas nas redes sociais e disponibilizamos nosso carro de som. Infelizmente ele não estava cumprindo com o que havia prometido e decidimos encerrar nossa ligação. A partir daí, ele começou espalhar dentro da prefeitura que estávamos “metendo o pau” no prefeito Anderson Ferreira, influenciou André Trajano, Secretário de Esportes, que em dois dias após o fim da parceria com Charles, enviou uma notificação pedindo a nossa saída aqui da sede“, revela o presidente.

DSCF7684p
Foto: Andros Silva

Segundo eles, o complô liderado pelo vereador tem o apoio do administrador do Estádio Municipal, Luiz Gonzaga. “Gonzaga quer dominar o Estádio com a gente longe daqui. Ele e Charles estão juntos para expulsar a Liga do Jefferson. Gonzaga tá aqui a doze anos e nunca fez nada pelo futebol de Jaboatão. Não solicitava nada, nem material  de limpeza a Secretaria de Esportes. Depois que fizemos uma excelente competição valorizando os clubes de 7 regionais ele ficou enciumado e com inveja das melhorias que fizemos no campo”, complementa o diretor de esportes Robson Lourenço. Impedidos pela prefeitura de usar o Estádio, projetos como uma Escolinha apoiado pela  Federação Pernambucana Futebol (FPF) ficaram inviáveis. “Iríamos fazer além da escolinha, campeonatos movimentando as 7 regionais, seriam mais de 200 atletas, com 96 comunidades, principalmente as que estão em situação de vulnerabilidade. Teríamos categorias sub 15 e sub 20, masculino, feminino e melhor idade “super 40tão, 50tão e 60tão”, lamenta Lourenço. 

DSCF7705p
Desportistas pedem a liberação do Estádio Municipal Jefferson de Freitas. Foto: Andros Silva

Para Lourenço, a Secretaria de Esportes não tem a mínima condição de realizar campeonatos sem a ajuda da Liga. “Para você ter ideia, chegou uma verba federal para eles organizarem uma competição chamada “Craque de Bola”. Eles não conseguiram arrumar as equipes para o evento e a verba iria voltar, daí vieram até a gente, porque temos credibilidade com os clubes do nosso município e conseguimos 40 times para que o torneio acontecesse”, relembra.

Os 50 anos da Liga

DSCF7691pFundada em julho de 1968, a Liga Desportiva de Jaboatão completa 50 anos em 2018.  “A sede sempre foi no mesmo lugar. Passaram vários presidentes que sempre trabalharam encima de convênios e parcerias com a gestão municipal, organizando tudo dentro de nossa cidade como se fosse uma prestadora de serviços para  Secretaria de Esportes”, conta Robson Lourenço, que não entende porque não o chamaram para “conversar em busca de uma solução em prol dos desportistas do Jaboatão”.

Perseguição a Liga é coisa antiga


jotaEm 2012, Carlos Barbosa, então presidente da Liga de Jaboatão fez denúncias semelhante. Na época, em entrevista concedida ao jornal Jota Publicidade, Carlos contou que passou a ser perseguido por está “apoiando o candidato a prefeito Cleiton Collins” (PSC), concorrente de Elias Gomes nas eleições daquele ano. “Ronaldo Ribeiro, a frente da Secretaria Executiva de Esporte e Lazer enviou uma notificação determinando a saída em 72h”, dizia a publicação.

A degradação do Estádio

De acordo com Robson Lourenço, a prefeitura interditou o campo alegando que uma reforma será realizada no Estádio em breve. “Mas sabemos que isso é mentira, não existe documento, não existe licitação, não existe nada. Em vez dessa conversa, eles deveriam dizer o que fazem com os R$ 10 milhões anuais destinados ao esporte jaboatonense”, rebateu. O Blog teve acesso as dependências do Jefferson de Freitas e constatou o abandono. Móveis velhos, equipamentos deteriorados, mato alto, vestiários sem portas e banheiros sem a mínima condição de uso mostram que de fato o Jefferson precisa de uma reforma urgente.

O mato tomou conta do gramado

DSCF7708p

DSCF7723p

DSCF7728p

DSCF7726p

No gol,  a ferrugem já começa a dá o ar da graça, deteriorando às ferragens. Na tela de proteção, a oxidação comeu todo o ferro

DSCF7715p

DSCF7718p

DSCF7714p

DSCF7738p

DSCF7741p

Nas salas móveis velhos estão amontoados

DSCF7768p

DSCF7767p

DSCF7762p

DSCF7763p

DSCF7765p

DSCF7747p

Banheiros não tem a mínima condição de uso

DSCF7734p

DSCF7761p

DSCF7733p

DSCF7758p

DSCF7755p

DSCF7732p

No local faltam torneiras e portas

DSCF7776p

DSCF7745p

Fotos: Andros Silva

Esta entrada foi postada em Esporte.

Um comentário em “Integrantes da Liga Desportiva de Jaboatão denunciam perseguição política

  1. sandelmar lima disse:

    prefeito andeson jaboatonesi anma futebol nosso estadio esta a cabado

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s