Presidente contou que mesmo enviando projeto para Prefeitura, recebeu apenas dois banheiros químicos como apoio para a agremiação. O carnavalesco falou ainda sobre os paredões de som que de certa forma prejudicaram o desfile

10/02/18 às 02:20

banner-carnaval-blogdoandros

jader-
Jader e a primeira dama das Baronesas Socorro Cordeiro em foto de Andros Silva

A noite da sexta-feira (9) foi das Baronesas em Jaboatão Centro.  A festa que tem Jader Cordeiro como presidente, teve a concentração tradicionalmente na Rua de Santo Amaro às 18h, ganhando as principais vias do centro às 19h e encerrando seu desfile com muita maestria por volta das 22h.

Ainda na avenida, Jader acompanhado de sua esposa, Socorro Cordeiro, conversou com o Blog e falou sobre os “paredões de som” durante o cortejo e de sua insatisfação com a atual gestão municipal.

“Os paredões de certa forma atrapalham, eu entendo que os jovens gostam deste tipo de música, e respeito isso. – Jader se refere ao funk ostentação que ecoava repetidamente e de forma ensurdecedora dos gigantes equipamentos – muitos deles (os jovens) acompanham o nosso desfile e gostam do nosso bloco, mas o barulho de encontro a Orquestra acaba prejudicando em alguns momentos.”

bonecaSem apoio da Prefeitura, As Baronesas desfilou com maestria e encantou a sexta-feira de carnaval em Jaboatão Centro. Foto: Andros Silva 

O carnavalesco disse ainda que “nem todos tem consciência” e elogiou apenas um dos carros de alta potência sonora:  “gostei muito do veículo branco, o maior entre eles, o dono chama-se Manda, conversei e ele seguiu a gente sem atrapalhar a Orquestra, respeitando o nosso desfile. A proposta das Baronesas é enaltecer a nossa cultura”.

Quando questionado sobre o apoio da gestão municipal em relação ao bloco, Jader foi enfático: “Fizemos um projeto como todos os anos e enviamos. Como apoio recebemos de Anderson Ferreia dois banheiros químicos. O prefeito só ajuda eventos evangélicos”, afirmou se referindo ao Congresso de Mulheres, acontecido recentemente no estacionamento da Casa da Cultura, com grande estrutura. “Ele tem que atender a todos e governar para todos os públicos da Cidade”, finalizou.

“Se você se deparar neste carnaval com uma pessoa de cabelos coloridos, sem camisa, tenha medo não, nossos bandidos andam de terno e gravata, Mercedes e Ferraris”

Jader Cordeiro, carnavalesco e advogado criminalista

Do Blog do Andros